coma fora da caixinha

Imagem Shutterstock

Faz um “cadinho” de tempo que quero escrever sobre este assunto, mas digamos que me faltou, além de tempo, viver na prática e com mais intensidade certas mudanças nos meus hábitos alimentares. Junto com esta mudança, relembrei algumas polêmicas em torno da comida, unido as famosas frases do tipo: comi e não morri e um post que fiz no Instagram (corre seguir a gente lá também!) sobre o peito de peru. Somando tudo isso, percebi como é difícil encararmos algumas mudanças da nossa alimentação para os hábitos de nossos filhos, por isso, aconselho, pense, ou melhor, coma fora da caixinha.

Credo, Paola! Quanto exagero. Não gente, não é exagero! Temos nas mãos uma fonte de informação gigantesca, que é a internet. Sabendo pesquisar, indo atrás de fontes seguras, confiáveis e com embasamento científico, vale super a pena começar a ter argumentos para debater com o profissional que cuida da saúde do seu filho.

O que quero dizer é que não vale a pena dar murro em ponta de faca, querendo dizer que peito de peru, salsicha, presunto (embutidos no geral) são opções bacanas pras crianças levarem de lanche, que suco de laranja lima, bolacha de maizena, petit suisse podem ser oferecidos antes de 1 ano, que gelatina é excelente, rica em colágeno e ajuda as crianças. Não, gente … Simplesmente não. Isso mudou, é comprovado com estudos científicos. Evolua! Pense, coma fora da caixinha.

Coma fora da caixinha, desbrave os alimentos, acredite que seu filho pode ficar sem leite de vaca e derivados e ter o aporte de cálcio adequado proveniente de outros alimentos, por exemplo. Não se sinta presa ao que está enraizado culturalmente. Permita-se aprender novas opções, permita seu filho a comer homus com pão no café da manhã, por exemplo! Porque comer apenas zatar, homus, pesto, guacamole, geléia sem açúcar enjoa, cansa e só comer requeijão, manteiga ou queijo não? Relembre NESTE post algumas opções sem leite e derivados para passar nos pães, torradas e afins.

Coma fora da caixinha, esqueça seu hábito alimentar de uma vida inteira e introduza um melhor para seu filho. Permita que ele leve tomatinho, palitos de cenoura na lancheira ao invés de um monte de industrializado pronto rico em gordura hidrogenada, glutamato monossódico. Porque é normal levar salgadinho cheio de conservante, sal e pipoca estourada em casa não? Vai ficar murcha? Pode até ficar, mas mesmo assim é gostosa, e o mais importante, mais saudável para a criança!

Coma fora da caixinha, pare de só oferecer suco de caixinha sem açúcar de uva. Abuse dos outros sabores, abuse das frutas e faça os naturais. Já pensou em maracujá com capim santo? Abacaxi, laranja, hortelã e rúcula? Ficam deliciosos. Agora pergunto mais fundo, porque é suco que tem que matar a sede e não a água?E bolo? Porque sempre tem que ser de chocolate? E o leite vegetal ou de vaca? Porque sempre com Achocolatado? Gente, existem bolos de sabores diversos, assim como muitas possíveis combinações pra deixar o leite mais nutritivo.

coma fora da caixinha

Imagem Shutterstock

Coma fora da caixinha, quem foi que falou que bisnaguinha é o pão de criança? Ah, Paola, mas ele é molinho! Sim, é. Mas e o monte de ingrediente ruim que contém? Será que vale a pena? Porque eles não podem comer os pães tipo caseirinhos vendidos em padaria? Ou até mesmo os pães de forma com ingredientes honestos?

É muito difícil pra você colocar em prática esses exemplos acima? Ok! Mas pense, ou melhor, coma fora da caixinha. Coloque novas opções, saudáveis de fato, em seu dia a dia. Quais variedades de feijão, por exemplo, seu filho conhece? E fruta? É só banana, maçã e pêra? E fruta do conde, ele já comeu? Já chegou a oferecer jiló, quiabo, mostarda, catalônia ou ficou só no brócolis, couve e alface? Relembrem aqui NESTE post o que é comida de criança!

Porque bacon, salsicha com molho é “próprio” pro café da manhã e uma rodela de inhame cozido não?

Percebem quantas opções existem na feira pra gente variar e manter uma alimentação própria pra idade das crianças? Porque temos que rebater com tanta “raiva” ou sarcasmo quando lemos ou ouvimos que certas coisas que antes, na época de nossos pais, quando nós éramos crianças, eram normais da gente comer não são mais indicadas para as crianças?

Meus amores, a grande questão é que há anos comemos errado, podemos ainda não sentir as consequências no nosso corpo e com isso, achamos que está tudo bem. Não! Não está! Não podemos persistir no erro com nossas crianças, somos responsáveis pela qualidade da alimentação deles. Se a gente não ensiná-los corretamente, eles não vão aprender, ou melhor, podem aprender na dor e isso não é legal!

Proponho que você e toda sua família coma fora da caixinha de fato e faça uma nova história no hábito alimentar por aí. Que tal? Vamos juntas?

Beijos.

Share Button
Deixe seu comentário ou dúvida: