Eu fico pensando muito em como será o mundo em que a Clara vai viver quando estiver maior e sair “debaixo das minhas asas”. Me preocupo nas pessoas que ela irá escolher para fazer parte do seu meio social, por quem ela irá se apaixonar e como serão os relacionamentos dela de um modo geral. Tenho pânico só de imaginar que ela possa ter uma relação machista ou que ainda se torne uma pessoa machista. E refletindo sobre isso, pedi para algumas amigas me ajudarem com dicas para não criamos crianças machistas e sim, colaborarmos com um mundo melhor de fato.

O mais engraçado é que muitas das dicas e falas eram parecidas e acontecem nas “melhores famílias”. Aquelas que você olha e fala: “não, imagine! Eles não são machistas”. Pra mim ficou claro que o machismo está muito mais presente em nossas vidas, falas e hábitos do que imaginamos ou percebemos e, por isso, é importante mudarmos a forma como educamos nossas crianças.

Relembre: É preciso mudar para termos um mundo melhor

8 dicas para não criar uma criança machista:

1 – Menino não usa rosa! Pra não falar: rosa não é de macho! 

Vamos partir do princípio que rosa é uma cor e cor não tem gênero. Cor é cor e gostar mais de uma ou outra não vai mudar a sua orientação sexual e de relacionamentos futuros da criança. Se seu filho que usar rosa, deixe! Se a menina quer usar azul, deixe também! Comece você desde o começo em não focar apenas em uma cor só.

Tivemos um caso aqui em casa quando Clara tinha mais ou menos 2 anos e meio. Ela veio com um papinho de que rosa não era cor de menino. Na hora eu gelei, pois isso nunca foi falado dentro de casa. Marido e eu conversamos com ela, explicamos que todas as cores são de meninas e meninos e pra fechar com chave de ouro, marido colocou uma camiseta rosa para passearmos. No fim, ela entendeu super rápido e hoje grita aos 7 ventos que todas as cores são de meninos e meninas.

2 – Pare de frescura, homem não chora! 

Homem chora, fica triste, entra em depressão, tem sentimento. Homem precisa aprender a demonstrar seus sentimentos. Pense assim: hoje, você pode sofrer por ter ao seu lado um marido ou companheiro mais “seco” ou preservado, como muitos gostam de dizer. Já parou pra pensar quantas vezes ele pode ter sido repreendido por chorar, abraçar e querer ser abraçado em sua infância? Não faça o mesmo com seu filho. Ame, dê colo, abraço. Deixe-o chorar quando quiser e precisar!

Segundo a Mel, poucas coisas são mais violentas do que calar o choro de uma criança, isso só mostrará a ela que não pode contar com o apoio e consolo dos pais. Uma criança que não sente que pode ter emoções e vivenciá-las terá maior propensão de desenvolver problemas emocionais e de relacionamento.

3 – Mas filho, quem brinca de boneca, casinha e comidinha é menina!

Um dos sonhos de quase toda mulher é ter um companheiro partipativo, que colabora, divide as tarefas de casa. Agora me explica, porque o menino não pode brincar disso tudo quando criança? Porque só as meninas é quem devem e podem brincar de casinha, boneca e ter filhos imaginários?

Gente, isso é algo que nunca deveria ter existido! Muitas das experiências da infância é que vão formar o adulto que a criança será! Quer que seu filho menino seja um bom pai? Deixe-o viver isso em seu mundo lúdico, estimule, ensine!

 4 – Mas carrinho e batman? Você é menina, escolha uma boneca. Que tal a Batgirl?

Menina quando crescer vai dirigir, então porque não pode brincar de carrinho? Vai ter que fazer um monte de coisa que pode ou não quebrar sua linda unha esmaltada, então, porque não pode querer correr, pular e fazer um monte de coisa de criança? Porque sempre tem que ser boneca? Existe lego, quebra cabeça, bambolê, corda e um monte de outros brinquedos!

5 – Como você é linda, uma princesa! 

Clara ama as princesas e eu acho ok. Fico ainda mais feliz quando ela, por si só curte mais as princesas que adoram aventuras e se diverte por isso, como a Moana, Mérida e até mesmo a Rapunzel. Porém, apesar de deixá-la viver sua infância livremente, ficar só enaltecendo as caracteristicas de beleza dela e de qualquer menina não é bacana. Menina não precisa ser sempre princesa, linda, arrumadinha. Elas podem ser inteligentes, dinâmicas, espertas, engraçadas e todos os outros adjetivos positivos que existem!

6 – Não fale com esta voz fina! Você é homem e não menina!

Desde quando o tom da voz diz alguma coisa sobre ser homem ou mulher? Já parou pra pensar que em monentos de insegurança, nervoso, medo e carência o timbre de voz da criança pode mudar. E, além, já parou pra pensar que é uma criança falando? Que ela vai passar por todo o processo de desenvolvimento da fala e amadurecimento da voz?

Além disso, ser mulher não é “defeito”, não é ser menos que homem. Já pensou o menino cresce se achando superior e se torna um adulto babaca que acredita que destratar toda e qualquer mulher é o que vale na vida?

7 – Vai sentar no sofá com seu pai, enquanto eu e sua irmã lavamos a louça!

Não tem coisa mais arcaica do que só as mulheres da casa serem responsáveis pelas atividades domésticas. Tem louça na pia? Juntem-se todos e organizem! A casa tá bagunçada além da pia? Então, dividam as tarefas! Muito do cansaço da mulher pode ser diminuido se as tarefas ditas serem pra mulher fazer, fossem divididas por todos da casa, claro, desde que a idade permita.

Ensine desde a infância os seus filhos, independente do gênero, a organizarem suas coisas, arrumarem seus quartos e a fazerem atividades de casa, colaborando assim com o coletivo!

8 – Menina faz ballet e menino joga futebol!

Gente, qualquer atividade física ou esporte é feito para pessoas e não devem jamais ser divididos de acordo com o sexo. Seu filho quer fazer ballet? Deixe! Sua filha quer fazer futebol ou artes marciais? Deixe também! Que lindo seria se todas as mulheres soubessem se auto defender dos babacas que existem no mundo!

Além destas dicas maravilhosas, não podemos esquecer de algumas falas que o povo adulto adora falar com o peito estufado e que a Mel me lembrou:

“Seu filho vai destruir corações quando crescer” | “Sua filha vai dar trabalho”- agora eu pergunto: porque beleza tem que vir sempre com o fato de dar trabalho? E quem diz quem é bonito ou não? Affff, pessoas! Sério!  “Segure suas cabras que meu bode está solto”- olha, eu acho melhor você segurar é sua língua dentro da boca, porque esta frase já está mais que ultrapassada!

Quem me ajudou com todas essas 8 dicas para não criar uma criança machista foi a Dea Werner, mãe do Theo e autora do blog Lagarta Vira Pupa, a Helô, mãe da Nina e fotógrafa do Helo Priedols Fotografia e a Melissa Giorgetti, redatora, mãe dos gêmeos Miguel e Isadora. Todas elas pessoas que adoro conversar e que sempre expõem de vários pontos de vistas algumas coisas que estão intrínsecas na gente. ADORO!

E uma coisa que todas elas disseram é que a gente precisa ser exemplo! Se, nós, mulheres achamos que nossos companheiros poderiam fazer mais, precisamos pedir ajuda e fazê-los também servirem de exemplo. Todos na casa, o coletivo precisam estar envolvidos na organização, no laço afetivo.

Precisamos ajudar nossas pessoinhas a serem pessoas melhor e saberem buscar pessoinhas bacanas para estarem ao lado delas. Criança precisa de exemplo, uma criança que cresce em um ambiente machista, será machista provavelmente. Ou será até que alguém apareça para recontrui-lo, mas e até lá? Quanta besteira ela vai fazer? Quanta gente irá magoar? O quanto irá se auto machucar? Pensem nisso e mudem já os hábitos por aí e pleeeease, bora não criar machista.

Beijos.

Imagens: Shutterstock

Share Button