hh4maes

Geeeeeente, ontem depois de quase 2 anos e meio fui pra “valenight” só com mulherada e a palavra que define a sensação é: liberdade! Calma, antes que me apedrejem já explico que não sou ou me sinto presa porque sou casada e tenho a Clara, AMO ser mãe, meu casamento, mas precisava respirar um ar diferente, sabem? Pela primeira vez eu pude entrar em um lugar sozinha, dançar (mesmo que timidamente) e observar quase 40 mães se divertindo horrores.

Desde que a Clara nasceu, minhas baladas são só familiares ou festas de crianças e como todas nós sabemos, quase nunca conseguimos sentar, comer, beber e conversar tranquilamente com as Crias juntos, salvo exceções.

No meu caso, Marido não se empolga e pouco vai em festas infantis, ou seja, vou sozinha com a Clara e o resto vocês já sabem: é correr atrás da Cria pelos brinquedos, sempre ao som de galinha pintadinha, peperruchos, xuxa e cia limitada.

Mas ontem não, ontem era a noite das mães, era o famoso “valenight” e todas estavam cada uma de acordo com sua timidez se divertindo, dançando e cantando. Foi o máximo!

Karen, Rê e Kiki - 4 mães e Euzinha :)

Karen, Rê e Kiki – 4 mães e Euzinha 🙂

Pri - Mamãe de Fase, Rê e  Kiki - 4 mães e euzinha :)

Pri – Mamãe de Fase, Rê e Kiki – 4 mães e euzinha 🙂

A ideia do happy hour das mães é da Renata e da Kiki, diretoras de conteúdo do 4 Mães. Elas marcam uma terça feira de cada mês, em um local pras mães saírem sozinhas, sem as Crias e Maridos com a intenção de realmente conseguir colocar a conversa em dia ou simplesmente poder respirar um ar diferente do de todo dia.

Ontem, a #HH4maes foi em meio ao show de outra amiga Querida, a Mari Belém (mãe da Laura, cantora e editora de conteúdo do Mamãe de Primeira Viagem) e gente, é o máximo! Todo mundo deveria ir no Show [email protected]@@@ pra extravasar, dançar, se divertir.

Nem a greve de ônibus e o caos de São Paulo unidos à maratona diária de ser mãe deixou mãe sentada.

De Anitta à Fafá de Belém, o repertório faz com que até a mãe mais tímida abra suas asas e entre na festa!

Não tenho vídeo do show de ontem, mas esse daí mostra um pouquinho do que é essa [email protected]@@@ toda.

Mari Belém arrasando

Mari Belém arrasando

Arrasa nessa F@rr@@@

Arrasa nessa [email protected]@@@

Aonde estavam seus respectivos filhos? São e salvos em casa com os maridos, avós ou babás.

Clara estava na casa da minha mãe. Saí do trabalho, passei lá, amamentei, brinquei, troquei fralda, dei melão picadinho, dei iogurte de morango orgânico e fui me divertir um pouco. Quando cheguei, ela estava dormindo, sentiu meu cheiro e pediu mamá sem despertar, mamou e dormimos grudadinhas.

Vejo muitas mulheres reclamando que a vida do marido não mudou, que ele tem o futebol ou o sossego em ficar vendo televisão enquanto a casa está uma loucura, assim como escuto outras dizendo que os maridos são maravilhosos, ajudam e tudo mais, mas que mesmo assim sentem falta do momento “mulherzinha” e este tipo de “valenight” ajuda bastante a descontrair e relaxar a cabeça.

Resumindo: Se organizem e tenham estes momentos. Se é um café no meio da tarde ou um café da manhã em alguma padaria ou até mesmo uma reunião na casa de alguma amiga …. se permitam alguns momentos sem os filhos. Não porque eles são um peso, mas sim pra recarregar a pilha, o bom humor ou sei lá o que cada uma de nós precisa pra levar a vida de forma mais leve.

Aproveitando: Obrigada [email protected] por serem tão contagiantes e me ajudarem a se soltar (mesmo que pouco) em meu primeiro valenight sem marido e sem filha  e obrigada por todas as respostas, dicas e interações no [email protected]

Eu adorei e já marquei na agenda o próximo.

Beijos

PS: Minhas fotos estão péssimas, assim que postarem as fotos oficiais da noite eu coloco aqui pra vocês verem a diversão que foi 🙂

Share Button