Oi gente, tudo bem?
Ano passado nesta época eu estava grávida, entrando no meu 8º mês, programando meu chá de bebê.
Eu participei da Blogagem Coletiva da Rede Mulher e Mãe (relembre aqui) e o tema era sobre o que eu realmente queria ganhar de dia das mães.

Algumas amigas diziam que eu podia sim comemorar, outras não, que eu só saberia o que é ser mãe assim que Clara nascesse.

Hoje sendo mãe, eu entendo o que elas diziam.
Sim, eu me senti mãe desde o primeiro segundo que descobri a gravidez, curti cada momento grávida, amei estar grávida, passei por tudo: enjoo, azia, desejos, irritação ao extremo, choradeira, carência, ninguém me ama, ninguém me quer, enfim, curti muito minha gravidez.

Mas o ser mãe do jeito que sinto hoje, ele despontou assim que senti a Maria Clara sair da minha barriga. Naquele momento, em que ela foi tirada de dentro de mim, que ouvi seu choro pela primeira vez eu senti algo que nunca tinha sentido na vida.
Foi como se eu tivesse tido a certeza absoluta do porque Deus me concedeu viver.

Não, não é exagero! Eu a amei desde o primeiro segundo, quando ela veio pros meus braços eu disse:

– Filha! A mamãe te ama e vai te amar por todas nossas vidas.
Obrigada por me escolher como mãe, prometo estar ao seu lado sempre que Deus permitir e você precisar.

Ser mãe pra mim é algo que transcende alma, é algo que parece doer, mas é maravilhoso. Nunca senti saudade de alguém como sinto da minha filha.
Me paro pensando nela várias vezes ao dia, aí corro pro celular e revejo as nossas fotos.
Quero mudar meu ritmo de trabalho pra ficar mais tempo com ela, todos meus objetivos são em torno dela.
Pareço boba ao lembrar de suas primeiras gracinhas, o primeiro engatinhar, o primeiro ficar em pé, a primeira batida de palma.
Me lembro como se fosse hoje todos os momentos em que passamos juntos, lado a lado e fico aterrorizada com a rapidez que tudo está passando. Ela já vai fazer 10 meses.

Hoje, entendo perfeitamente as preocupações da minha mãe, a famosa frase:
– Se eu pudesse, passaria isso por você!

Eu fiquei pensando a semana inteira em como escrever um post sem ser piegas, repetitiva ou apenas mais um sobre Dia das Mães e agora, sentada aqui na frente do computador, acho que não conseguirei.

Sou mãe, mas também sou mulher, profissional e agora voltei a estudar pra me atualizar mais. Durmo pouco, amamento, cuido da casa, faço comida e trabalho fora de segunda à sábado. Sou mãe!

Meu lado mulher consiste em fazer a unha 1X/semana no salão, onde tenho 40 minutos de fofoca com a manicure, os cabelos? Bem, esses são tratados (quando são) em uma soneca ou outra da Clara. Sou mãe!

Meu corpo dói, meus braços doem, minhas pernas, mas não deixo de niná-la pra dormir ou dançarmos juntas em alguns de nossos momentos. Sou mãe!

Me preocupo com os hábitos alimentares, em como educá-la, em como estará o Mundo quando ela crescer e for ao encontro dele. Sou mãe!

Me desdobro em mil pra dar conta de tudo e aproveitar todo nosso pouco tempo juntas, mas quando estamos juntas, estamos juntas de verdade, com intensidade. Sou mãe!

Sinto saudades das minhas noites inteiras de sono, ah! como sinto. Sinto saudades de uma taça de vinho ou uma cervejinha e assim sem ninguém, principalmente você escutar, às vezes sinto falta do meu cigarrinho, mas entendo perfeitamente que no momento, a prioridade é você e não preciso de nada disso, com exceção ao sono, pra ser mais feliz. Sou mãe!

Tem dias que acordo  e quero continuar dormindo, principalmente aos domingos, que é teoricamente o único dia que poderia acordar no horário que bem entendesse, mas não, acordamos quando você determina e nosso dia já começa na agitação. Sou mãe!

Enfim, ser mãe realmente é “padecer no paraíso”, é algo que amo ser, passo pelos perrengues normais da Maternidade e o anormais, mas acima de tudo, aprendi a entender que tudo são fases, que elas passam e que precisamos aproveitar ao máximo cada uma delas.

Hoje, estamos na fase da amamentação, colo, chamego, algumas noite de cama compartilhada e assim será …. ano que vem, antes mesmo disso, teremos outras fases e viveremos todas elas em paz, sem pressa e o melhor, administrando a melhor forma de sempre sermos felizes.

Desejo à todas vocês um lindo dia das mães e que todos os dias sejam comemorado dia das mães!
Que os Pequenos e Grandes filhos digam sempre o que sentem por vocês, que todas tenham vida longa com saúde e aproveitem uns aos outros ao máximo!

Hoje, lá na fanpage estou postando imagens (retiradas do Pinterest) com o tema:”E quando você nasceu eu disse” e durante a semana brincamos sobre ser mãe em apenas uma palavra e a trilha sonora da maternidade. Me conta, o que você disse quando viu seu bebê pela primeira vez? Qual palavra resume ser mãe pra você? E qual a música da sua maternidade???

Segue minhas respostas:

Beijos

Share Button

Comentários