Comer, algo que fazemos e faremos todos os dias e que tem o poder de nos deixar descabeladas. Descabeladas se comemos muito, se comemos pouco, se comemos bem, se comemos “porcaria”. Enfim, é quase que constante a preocupação com o comer. Mas vem cá, você já parou pra pensar nesta frase: Socorro, meu filho não come nada?

Existem vários pontos importantes para refletirmos e analisarmos:

1. A criança não come um ou outro alimento:

Ninguém precisa comer todos os alimentos que existem e, está tudo bem! O que precisamos ter em mente é: no conjunto da alimentação, o cardápio da criança é variado e, entre as opções oferecidas, ela aceita e come.

Relembre: Qual a quantidade o bebê deve comer?

2. A criança só aceita refeições específicas:

Qual refeição ela aceita e porque? Porque tem preparações que ela prefere ou industrializados que foram apresentados pra ela e, agora ela “ama”? Isso acontece principalmente quando a preferência são os lanches/lancheira. Observe e descubra como mudar este padrão.

3. A criança come, mas sempre sobra comida no prato:

Enquanto a gente não aceitar que a quantidade ingerida por eles, são eles quem determinam, não iremos ter “paz” e tranquilidade para seguir com a alimentação dos pequenos. Aqui vale repensar a quantidade que você coloca no prato, a expectativa que você tem em relação a ele raspar o prato.

4. Começou a introdução alimentar agora e só brinca com a comida.

O bebê está feliz durante a refeição e interage com os alimentos, toca, abre a boquinha, leva o alimento a boca ou passa a língua na colher? É isso! O processo começa assim e vai evoluir conforme os dias forem chegando, o bebê entende o que fazer com o alimento e, de maneira acolhedora, ele vai se desenvolvendo e comendo de fato. Tranquilize-se.

5. Ele não come absolutamente nada:

Aí é importante procurar ajuda profissional e, entender os motivos que impedem que a criança coma. E, entender qual está sendo o alimento responsável por “manter” a criança com o “tanque cheio de combustível”.

Será que precisa procurar ajuda? Quando a “fase” dura mais de 2-3 meses, sim. Ou ainda se você sozinha(o) não consegue identificar se a criança realmente não come e precisa de ajustes para melhorar o conjunto da alimentação dela.

Já nos acompanha no Instagram? Vem com a gente participar da nossac rotina e muito mais! Cicla AQUI e prontinho!

Procurar ajuda de um profissional pode te ajudar e muito a entender se seu filho não come nada, onde ajustar e como fazer mudanças acolhedoras e positivas para a alimentação do pequeno em questão.

Lembrem-se sempre: comer deve ser algo bom, cheio de prazer, paz e felicidade. Jamais momentos de estresse e terror para que os pequenos comam da maneira que os adultos querem.

Agora me fala, seu filho não come mesmo? Beijos.

Share Button