Eu vivo com mania de ficar redecorando as coisas aqui em casa, sempre que posso mudo as coisas de lugar, compro outras e tudo pra não cair na monotonia. Com o quarto de criança não é diferente, a cada arrumação eu mudo as coisas de lugar e penso em como melhorá-lo e foi pensando nisso unido a outros aspectos que troquei o berço pela cama, mas será que tem hora pra trocar o berço pela cama?

Fiz a mudança no começo do ano quando ela tinha 1 ano e 5 meses, mas dias depois viajamos de férias e só depois de um mês ela pode aproveitar e notar a diferença de seu quarto.
Clara pouco dormiu no berço, ou melhor, até os 7 meses ela dormia lá e eu levantava sempre que ela queria mamar, mas com a volta ao trabalho, frio e cansaço da mãe aqui comecei a compartilhar a cama e assim ficamos, ou seja, o berço servia pra tudo menos pra ela dormir. Algumas noites ela dormia meia noite no berço e o restante vinha pra nossa cama.
Mas o grande problema do berço além dela mamar 2 – 3 vezes durante a noite era o tamanho dele em relação a “folga” da Clara rs. Ela sempre dormiu esparramada, desde recém nascida. Parecia que ia saltar de paraquedas, pois dormia com os braços abertos e conforme cresceu ela começou a se bater muito no berço e a se incomodar em não conseguir se mexer e isso foi determinante pra eu desmontá-lo.
Com a decisão tomada eu comecei a sonhar no quarto que queria pra ela, fiz até este POST com 11 ideias de camas diferentes, mas ao mesmo tempo a grana estava curta e não era prioridade gastar com o quarto dela naquele  momento, mesmo porque ele tinha 7 meses na época da troca do berço.
O quarto dela sempre teve cama auxiliar, a chamada de cama da Babá, mas eu não queria que ficasse aquela cama por questão da altura e porque ela sempre serviu como armário e porta tralhas, bolsas e bagunça. Tudo eu jogava em cima da cama e isso me consumia, pois o quarto da Cria sempre estava uma zona. E foi justamente desmontando a cama que me seu um start e resolvi a questão de qual seria a cama da Clara.
Olha só como ficou o quarto dela (relembre neste POST como era o quarto com o berço):
A parede onde ficava o berço e a cômoda deu espaço pra cama de solteiro baixinha (na realidade eu tirei a peseira e a cabeceira da cama da babá e fiz a cama da Clara, ela continuou com estrado e proteção lateral na parede, ou seja, não passa friagem).

Mesmo a cama sendo baixa eu coloquei a grade protetora, pois Clara se mexe demais e pasmem, já a encontrei dormindo no chão no meio do quarto.

Como a parede é comprida, ainda deu pra colocar sua cozinha nos pés, assim ela brinca quando quer!

Na parede onde ficava a cama da babá eu coloque a cômoda onde ficam suas roupas do dia a dia e seus acessórios. As caixas que eu forrei com tecido antes dela nascer continuam servindo de nichos pra brinquedos e agora por fraldas também (relembre AQUI como eu fiz).

Ao lado da cômoda fica a mesa de desenho que muitas vezes serve pra ela comer também. Ela simplesmente ama essa mesa.

Seus brinquedos preferidos ficam sempre disponíveis e quando ela quer algum que fica nos nichos eu pego sem problemas. Brinquedo foi feito pra brincar
E os livros também sempre ao seu alcance e misturado com os brinquedos. Ela nunca rasgou livro nenhum.
No quarto dela tem televisão, mas ela nunca assiste porque não pega, inclusive preciso comprar um aparelho de dvd pra colocar os shows e desenhos que ela tem.
Eu sempre deixo o rádio ligado com músicas infantis, ela adora!
Com a mudança do berço pela cama eu percebi:
  • Que ela fica muito mais em seu quarto, ela deita, levanta, pula, leva as bonecas pra cama quando quer;
  • Quando vou amamentá-la eu caibo na cama e nem sempre a levo pro meu quarto, assim, aos poucos tento descompartilhar a cama sem traumas;
  • Ela dorme esparramada do jeito que ela gosta;
  • Ela acorda durante a noite e vai até meu quarto sozinha.
Na realidade não existe hora certa pra trocar o berço pela cama, pra isso você tem que observar seu bebê e respectivas necessidades. Tem bebê que pula o berço desde cedo, tem bebê que se mexe demais e parece odiar o berço. É algo super individual, assim como qual cama escolher.
“Não há regra para trocar o berço por uma cama (seja de solteiro, seja uma caminha especial para crianças pequenas, a chamada cama júnior ou minicama). A maioria das crianças acaba fazendo essa transição em algum momento entre 1 ano e meio e 3 anos e meio. 

Se você não tem nenhum motivo para fazer a transição, pode esperar até seu filho ter perto de 3 anos. Às vezes, antes disso, a criança não está pronta e acaba estranhando. Em alguns casos, porém, a mudança é necessária: quando a criança não cabe mais no berço, ou é muito espoleta e resolve pular as grades, quando tem mais de 90 cm de altura ou quando há irmãozinho a caminho.” –  Fonte: Baby Center

Eu sempre quis que Clara tivesse uma cama que pudesse subir e descer sem ajuda, sem riscos de queda, mas ao mesmo tempo queria uma cama tamanho padrão ou maior e que tivesse proteção contra friagem, pois meu piso é piso frio.
E por aí? As Crias já saíram do berço?
Beijos
Share Button

Comentários

  1. nossa tenho muita vontade de colocar a minha filha pra dormir no quarto dela, mas já me acostumei ela dormir comigo, ela acorda a noite pra mamar, dai ela ja esta pertinho de mim, então eu durmo bem e ela tambem, mas já estou notando que o espaço está ficando pequeno pra nós três e ela se mexe muito é toda a vontade na cama, não sei o que fazer, a não ser que eu durma com ela no quarto kkkk, dai eu perco o marido kkkkk, mas resumindo o quarto da clara ta lindo cm sempre,

  2. Eu tenho um berço que vira mini cama e não vejo a hora de mudar mas ainda acho que devo esperar. Acho cama bem melhor e trás uma liberdade pra criança, mas por aqui o bercinho ainda é necessário.
    Amei o quarto da sua filha, lindo, colorido como criança gosta!
    Bjs

  3. Minha filha saiu do berço com 1 ano e 10 meses, mais ou menos. Foi uma transição bem tranquila. Espero que do meu filho mais novo tb seja. Ele vai dividir o quarto com a irmã, vou colocar um triliche.

    Bjinhos!