Só quem sabe a dor de perder uma mãe é quem já teve a infeliz e triste experiência. 
Eu tive, aos 04 anos e sim, me lembro dela perfeitamente.
Lembro-me que no dia em que a levaram pro hospital eu entrei debaixo da mesa e disse:

– Você é ladrona de mãe, vai me roubar a minha que nunca mais vai voltar.

Pois é, ela não voltou mais pra mim!
Anos depois achei um diário em que ela escreveu seus últimos dias e lá, em seu diário tinha doces palavras pra mim e o quanto ela sempre me amou.
Ela, com seus 24 anos foi-se pro lado de Deus e eu fiquei com minha  Avó e Tia materna.
Fui sempre muito bem criada, mais do que amada e dentro de todas as possibilidades financeiras, sempre tive tudo.

Anos depois, eu já com meus 23 anos,  foi a hora de me despedir da minha segunda mãe, minha Avó.
Lembro que entrava na UTI, ela entubada, eu chorava pedia pra ela ser forte e não me abandonar, que ela não podia ir embora e me deixar aqui. Até que um dia, parei de ser egoísta e disse pra ela que ela podia ir, que eu ficaria bem, sempre com saudades, mas que iria dar muito orgulho pra ela. E no dia seguinte, ela se foi.

Falta? Saudades? 
Sim, sinto diariamente.
Me paro sempre pensando em como seria minha vida se nada disso tivesse acontecido, fico imaginando como elas seriam com a Clara como avó e bisavó.

Mas a vida segue, né? E tenho a plena certeza de que elas estão bem lá em cima, sempre me abençoando e que na hora que Deus quiser, iremos todas nos reencontrar. (Mas Deus, muito lááááááááá na frente, tá? Quero vida longa com saúde e curtir meus bisnetos ao máximo)

Hoje, tenho minha terceira mãe, linda ao meu lado!
Uma mãe linda que sempre se desdobrou pra me educar, me proporcionar conforto. Aquela que com 21 anos precisou superar a perda da irmã, acalmar a mãe que tinha perdido sua querida filha e ainda ter forças pra criar uma menina de 4 anos que tinha acabo de ouvir que sua mãe tinha ido morar com o Papai do Céu.

Obrigada, Deus! Obrigada por nunca me deixar desamparada, por ter me dado a sorte de ter três lindas referências de mãe, mulheres, garra.
Obrigada por me fazer mãe!


Eu e minha mãe, nesta foto devia ter uns 6 meses
Graças à Deus tenho uma foto dela me amamentando!
Mãe, Avó e eu nos meus primeiros dias. Sim, nasci gigaaaaante rs
Meu aniversário de 3 anos, o último todo feito por ela!
Minha avó e eu em meu aniversário de 3 anos.
Minha mãe Stella, a mais linda, mais amiga! A avó mais fofa, carinhosa .  Meu grande amor, obrigada por tudo!
poesia e poema dia das mães
Feliz dia das mães pra todas as mães!
Beijos
Share Button

Comentários

  1. Amiga, que post lindo e emocionante!!
    Eu perdi minha mãe em dezembro de 1992 e mesmo sendo mãe há quase 4 anos, não curto muito essa data! Mas um dia passa, ou não!

    Beijão.
    E um GRANDE dia das mães pra você!!!!

  2. Nossa, Paola, emocionante. Eu que já briguei tantas vezes com a minha, e já ouvi tantas vezes a célebre frase “quando eu morrer você vai sentir falta”, estou com um nó na garganta.
    O que me chamou a atenção para vir ler esse post, é que você menciona nas redes sociais, que vai buscar a Clara na casa da Vovó depois da escola, depois de ler o post entendi.
    Um beijo, lindas as suas fotos e recordações.