Muita gente me pergunta como é minha cozinha, como escolho meus produtos, onde armazeno as comidas, quais os utensílios da Clara e os que uso no dia a dia. Cozinha pra mim é um dos ambientes da casa que mais gosto. Amo cozinhar e graças à Deus levo jeito pra coisa. Ainda não tenho a cozinha dos meus sonhos, pois não temos casa própria, mas tento ter meus utensílios dos sonhos, falta um bocados deles, mas um dia chego lá.

Além de gostar da beleza de alguns utensílios e eletrodomésticos, analiso bastante a funcionalidade, praticidade, custo X benefício e se são de acordo com algumas normas de higiene e segurança pros alimentos.

Logo quando Clara começou a comer me preocupei bastante em onde colocar as papinhas pra congelar e posteriormente descongelar, por causa do famoso BPA. Foi aí que procurei recipientes de plástico que fosse free BPA e outra coisa que fazia era tirar a comida do plástico e colocar no vidro pra esquentar em banho maria ou esquentava na panela.

O BPA (Bisfenol A) foi inventado na década de 30 na busca de estrógenos sintéticos, mas hoje está profundamente inserido em nossa sociedade de consumo. Atualmente, ele é usado em muitos plásticos comuns e como “verniz” na parede interna de latas de alimentos. É o monômero mais comum para os policarbonatos objetivados para o contato alimentar, e por isso mesmo, pode contaminar os produtos alimentícios.
Um estudo da Universidade Case Western Reserve (EUA) mostrou que o BPA foi o responsável por causar deformação em óvulos de camundongos de laboratório. A atividade química do BPA é semelhante à do hormônio feminino estrogênio e alguns pesquisadores já desconfiavam que ele pudesse danificar os órgãos sexuais de fetos.
Na verdade, o estudo começou por acaso. A Dra. Patrícia Hunt notou defeitos genéticos incomuns nos óvulos de camundongos, e ao perseguir a causa, desconfiou das gaiolas de plástico transparentes. Seus estudos mostraram que mesmo traços residuais da BPA – 20 partes por bilhão em água potável – levam à alteração de 8% dos óvulos. Em condições normais, apenas 1% dos óvulos deveria apresentar defeitos. Outros estudos apontam que o BPA pode causar, em fetos de animais, problemas no desenvolvimento de testículos, da próstata e na contagem de esperma. Isso quer dizer que o mesmo pode acontecer com seres humanos, aumento o risco de defeitos congênitos, como por exemplo, síndrome de Down. Fonte: Ecologia Celular
 
Eu sempre tive vontade de armazenar suas papinhas em potes de vidro, pois o vidro é bem mais higiênico, não deixa cor, odor ou sabor e está livre do BPA totalmente. Na realidade, aos poucos eu estou me despedindo dos potes de plástico e só utilizando refratários de vidro, pois além de mais seguros no quesito armazenagem, são mais bonitos na hora de levar à mesa durante as refeições.
 
Em casa agora faço assim: 
 
– Toda comida que precisa ser esquentada, eu coloco no refratário de vidro
 
– Pra congelar algumas preparações da Clara, que sempre deixo pronta pra caso de emergência e não precisar recorrer as papinhas industrializadas, uso os potes de vidro da Nadir Figueiredo. Eles tem a Linha Facilitá Baby, são potes do tamanho ideal pras papinhas e porções individuais, tem a tampa anatômica, com cores suaves e vem com o Michey
 
 
– Pra levar petiscos e comidas que não precisam ser aquecidas, por exemplo, eu uso os potes de plástico coloridos BPA free, pois assim fico tranquila da Clara não se machucar ou quebrar o vidro, afinal, ela está com apenas 1 ano e 3 meses e o que mais ama fazer é derrubar as coisas no chão.
 
– Quando vou na casa de alguém dar minha consultoria, já indico a utilização de vidros também e falarei sobre isso no Workshop que vou dar semana quem na Recomendo sobre papinhas.
 
Papinhas prontas pra Duda comer :)) – Consultoria feita na casa da Michele
Além do problema do BPA nos potes de plástico, com o tempo e uso, eles ficam marcados com as cores de alguns alimentos, com cheiro e sabor.
Experimente armazenar molho de tomate, mesmo que caseiro em um pote de plástico. Pra tirar a cor vermelha do plástico é difícil.
Ou então guarde cebola e alho em um recipiente de plástico. Pra tirar o sabor e o cheiro também é difícil e se você guardar neste mesmo pote um doce, por exemplo, corre o risco dele ficar com o gosto alterado.
Sim, você bem que pode separar potes de doces e potes do salgados, mas pode também esquecer qual é pra o que na correria do dia a dia.
Em relação ao custo, alguns potes de plástico são mais baratos que os de vidro, porém, o BPA é liberado quando em alta temperatura, ou seja, se armazenar uma comida quente no plástico, pode liberar a substância, além do que, os recipientes mais baratos deformam com a alta temperatura da comida.
No fim, o custo/benefício acaba sendo à favor dos vidros, pois além de não terem BPA, não pegam cheiro, cor e alteram sabor dos alimentos.
 
Quer saber mais sobre as vantagens de usar potes de vidro ao invés dos de plástico? Clique AQUI e tire mais dúvidas.
 
Beijos
 
PS: Este post contou com o apoio de uma empresa que acredita no nosso trabalho e eu confio em seus produtos.
 
 
 
 
 
Share Button

Comentários

  1. Depois que virei mãe aprendi a cozinhar e minha meta é jogar fora todos os potes de plástico que ainda tenho em casa. Realmente, armazenar em frascos de vidro é o mais indicado e até na na hora lavar eles são os melhores!! hehehehe
    Beijos.

  2. Uma opção q eu fiz foi conseguir os famosos potinhos de papinha de vidro industrializados de amigas q consumiam nos seus filhos e congelava 2 vezes por semana assim sempre tinha mais de uma opção! Era de vidro e nao paguei nada kkk