Entra ano, sai ano, estudos são feitos, profissionais se reúnem e, depois de longas análises e conversas, alguns pontos são alterados em relação a alimentação infantil. Neste finalzinho de 2019 foi surpreendente quando o Ministério da Saúde o lançou. Mas o que muda depois do Guia Alimentar Infantil 2019?

Relembre: Quando começar a introdução alimentar dos bebês?

Nele, alguns pontos que há anos seguíamos e, que esta no Manual Brasileiro de Pediatria foram alterados.E, o que muda depois do guia alimentar infantil 2019 são alguns pontos bem característicos:

Açúcar e mel: antes falava-se de não oferecer. Hoje, a palavra usada foi “proibido”. E além do açúcar estar proibido, no Guia Alimentar está claro que toda e qualquer preparação, produto ou industrializado que contenha açúcar ou mel, não devem ser oferecidos para menores de 2 anos.

Uso do Sal: no novo Guia Alimentar eles falam que os bebês, desde sempre, podem e devem comer a comida da família, então, se a comida for com POUCO sal, tudo bem eles comerem o sal.

Aqui vou deixar minha opinião pessoal: excesso de sódio/sal faz mal à saúde. A questão de ser uma comida com “pouco sal” pode ser muito relativo e varia de acordo com o hábito alimentar de cada pessoa. Então, se formos pensar nos bebês, o melhor ainda é continuar sem adicionar sal em suas comidinhas.

Relembre: 21 alimentos que criança não deve comer antes dos 2 anos ou +

Para isso, basta a gente se organizar e retirar a porção que o bebê vai comer antes de adicionar o sal. Porém, caso esteja em um dia corrido, onde a única coisa que tem é a comida da família já com sal, tudo bem oferecer. Conseguem entender como o sal deve ser utilizado?

Bebês não precisam do sal desde os 6 meses, então, bora equilibrar de verdade!

Leite de vaca e derivados: este foi um dos pontos que mudou e causou um certo impacto, MAS, vale a interpretação de texto correta!

Apesar de não se recomendar a oferta de leite de vaca
como uma refeição antes de a criança completar 9 meses de idade, o leite de
vaca e seus derivados podem ser oferecidos para crianças após os 6 meses de idade, em pequenas quantidades, como ingredientes de receitas caseiras, como por exemplo, purê de batata.

Conseguem entender que em momento algum é falado sobre trocar a amamentação pelo leite de vaca? É apenas para ser usado, esporadicamente em receitas de preparações que a família vai comer.

E, resumindo, olhe os novos 12 passos para uma alimentação saudável no novo guia alimentar:

12 PASSOS PARA UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL – NOVA VERSÃO 2019

1 – Amamentar até 2 anos ou mais, oferecendo somente o leite materno até 6 meses.
2 – Oferecer alimentos in natura ou minimamente processados, além do leite materno, a partir dos 6 meses.
3 – Oferecer água própria para o consumo à criança em vez de sucos, refrigerantes e outras bebida açucaradas.
4 – Oferecer a comida amassada quando a criança começar a comer outros alimentos além do leite materno.
5 – Não oferecer açúcar nem preparações ou produtos que contenham açúcar à criança até 2 anos de idade.
6 – Não oferecer alimentos ultraprocessados para a criança.
7 – Cozinhar a mesma comida para a criança e para a família.
8 – Zelar para que a hora da alimentação da criança seja um momento de experiências positivas, aprendizado e afeto junto da família.
9 – Prestar atenção aos sinais de fome e saciedade da criança e conversar com ela durante a refeição.
10 – Cuidar da higiene em todas as etapas da alimentação da criança e da família.
11 – Oferecer à criança alimentação adequada e saudável também fora de casa.
12 – Proteger a criança da publicidade de alimentos.

Beijos.

Share Button