Imagem: shutterstock

Uma das perguntas que mais recebo por email, inbox ou por aqui é sobre qual leite dar depois que as Crias param de ser amamentadas e ultimamente,  leite vegetal para as crianças e qual escolher está em alta! Este assunto é algo bem complexo e que deve ser tratado com muita atenção, acompanhamento de profissionais, sempre unidos ao desenvolvimento das crianças. Me lembro que na época da faculdade de nutrição, lá em 1998 – 2001, não tinha uma variedade tão grande de leite difundida, era leite de vaca ou leite de soja e pronto. Atualmente o que não falta são opções de leite vegetal para atender bolsos, gostos e organismos e é por isso que surge tantas dúvidas em torno da escolha.

Eu não sou do tipo radical que não recomenda o leite de vaca, mas sou do tipo radical que bate na tecla da orientação de que o leite materno é o melhor leite para o bebê exclusivamente até os 6 meses e prolongado até os 2 anos ou mais, sem precisar de outro leite enquanto amamentado. Se o bebê não ganha peso lá no começo, por exemplo, a mãe deve ser orientada em relação a pega do bebê, amamentação em livre demanda, beber líquidos pra aumentar a produção do leite e aprender de como realmente funciona todo o processo e não de imediato entrar com o famoso complemento. Digo que ela precisa ser orientada a tentar de fato, de forma correta, unida a carinho, apoio profissional a continuar com a amamentação. Não deu certo por outros motivos? Ok, então somente depois de tudo ter uma prescrição de complemento caso seja a única saída pra saúde e integridade do bebê.

Tirando o lado cultural do leite de vaca, onde é impregnado nas famílias o hábito de tomar o leite quando acorda, muitas vezes antes de dormir e seu uso em receitas como um ingrediente quase que padrão, vejo muitas mães desesperadas em introduzir seu consumo por conta da ingestão do cálcio, nutriente este essencial para algumas funções do organismos, como participar da coagulação sanguínea, controle hormonal e claro, estruturar ossos, dentes do nosso corpo.

Quando eu digo que precisa do acompanhamento de profissionais é pra ver se a quantidade de cálcio em específico está de acordo com as necessidades da faixa etária da criança, pois existem algumas opções de leite vegetal que não contém cálcio suficiente e pra complementar, precisa ser oferecido alimentos ricos em cálcio ao longo do dia e em todo cardápio familiar, ou seja, simplesmente tirar o leite de vaca e trocar por outro leite não é o recomendado!

Dicas pra escolher o leite vegetal:

  • Cada leite vegetal fornece em maior ou menor quantidade e disponibilidade seus nutrientes, por isso, na hora da escolha vale a pena ver qual nutriente você quer evidenciar por via deste alimento.
  • Prestar atenção que alguns também podem ser alérgicos por conta da matéria prima, por exemplo, crianças alérgicas ao glúten não podem com leite de aveia, crianças alérgicas à soja, não podem com leite de soja.
  • Verificar se a matéria prima do leite é liberada de acordo com a idade de sua Cria, por exemplo, nozes é altamente alérgica e indicada para crianças acima de 2 anos, ou seja, o leite de nozes em específico também, enquanto o de arroz não, entenderam? Assim como as demais oleaginosas (amendoa, castanha, avelã)
  • Já que você não fará uso do leite de vaca por “n” motivos, varie nos leites vegetais e inclua todos na rotina alimentar da família, assim você garante um aporte de nutrientes maior e melhor, além de sempre ampliar o paladar de todos.

O sabor é (lógico) diferente do leite de vaca, a grande maioria pode substituí-lo nas receitas, mas também é questão de tudo ser teste e claro, batido com frutas é sempre uma delícia!

Pra tentar ajudar um pouquinho em relação ao cálcio de cada alimento fonte do leite vegetal, fiz uma tabelinha simples:

E aí, qual o seu preferido?

Beijos,

Share Button

Comentários