O “mundo” da maternidade é algo novo pra mim, faço parte deste grupo há 26, quase 27 semanas e fico impressionada como algumas mães se unem e são solicitas.
Assim que anunciei minha gravidez, amigas distantes se prontificaram a me ajudar com dicas sobre a gestação, fornecedores pra decoração do quarto. Meus clientes então, me passaram uma lista de quando tinha descontos nas lojas de moda infantil, roteiro de viagem pra Miami.
Mudei totalmente minha preferência de quem seguir no twitter e comecei a ir atrás de blogs sobre maternidade, mães, empresas do segmento e lá também tive apoio e orientações de algumas mães, mesmo elas vivendo a tal loucura da maternidade.
No facebook, participo de um grupo de Mamães onde praticamente todas tiveram seus bebês há quatro meses e mesmo na correria sempre me ajudaram e estiveram dispostas a me ajudar, respondendo minhas trocentas dúvidas sobre como fazer a lista de chá de bebê, qual a melhor fralda, qual melhor shampoo, bebê usa isso? Bebê usa aquilo? E mesmo com as incansáveis mamadas, sempre fui acolhida.
Em meio a tanta competição feminina, pelo menos em algum momento nós, mulheres guardamos nossas “armas” e simplesmente nos unimos pra ajudarmos uma as outras.
As dúvidas sobre febre, reação da vacina, introdução à alimentação, primeiro dia do berçário, volta ao trabalho parece ficar mais fáceis.
No meu caso ainda são as dúvidas sobre cãibra, azia, enjoo, enxoval, chá de bebê e outras coisinhas da gestação, mas nem por isso existe descaso.
Fico feliz em ver toda essa união, pois é uma fase que temos muitas dúvidas e nada melhor do que tirá-las com quem a está vivendo e vive a realidade sem medo de dividi-la, não faz da realidade só o conto de fadas.
Ser mãe ou estar grávida é algo maravilhoso e divino, mas também tem o lado “chatinho” da coisa e não vejo problema em ser exposto.
Por mais encantador que seja, nada é perfeito e também temos nossos dias ruins, não é mesmo?
Beijos
Share Button