Leite materno é sem dúvidas nenhuma o melhor alimento para o bebê, por isso é tão importante a mulher buscar informação e orientação caso tenha alguma dificuldade em amamentar. Leite fraco, pouco leite são mitos dentro da amamentação. Eu sou uma daquelas pessoas que levantam a bandeira da amamentação por diversos motivos. Clara tem quase 10 meses e até hoje nunca tomou leite artificial. (Atualização: Clara tem 1 ano e 10 meses e continua mamando sempre que estamos juntas em livre demanda. 19/05/2014)

Voltei ao trabalho quando ela tinha quase 6 meses e mesmo assim, continuei com a amamentação (relembre aqui).
Antes que alguém venha me dizer que nem tudo são flores, eu já logo concordo, pois tive muitos problemas com a amamentação no começo (relembre aqui), meus bicos racharam a ponto de sair sangue junto com o leite, eu mordia o travesseiro de dor pra conseguir amamentar a Clara nos 10 primeiros dias, mas depois, sim tudo virou flores!

 

Umas das coisas que não conseguir fazer e que me deixou triste, foi não doar o leite materno. Não doei porque sempre tive a quantia certa pra Clara. Meus peitos nunca encheram horrores, nunca vazou leite, nunca empedrou e ela sempre mamou em livre demanda.
Hoje, consigo ordenhar 160 – 180ml/dia no máximo, isso tomando 2 litros de água entre 9hs e 12:30 pra conseguir tirar 80ml, depois amamento no meu horário de almoço (13:30hs) e no fim do dia, por volta das 16:30, tiro mais uns 50-80ml. Como ela ainda acorda muito durante a noite pra mamar, nem pela manhã meus seios estão cheios. (atualizando: parei de ordenhar quando Clara estava com quase 11 meses e mesmo assim ela nunca tomou outro tipo de leite ou fórmula, seguimos até os 12 meses com leite materno enquanto estávamos juntas mais a alimentação. Depois de 1 ano e alguns meses, mais ou menos 1 ano e 2 meses introduzi a coalhada caseira ou iogurte natural batido com frutas – 19/05/2014)

Vocês podem me perguntar porque devemos doar o leite materno, né?

O leite materno é o principal e melhor alimento pro bebê até os 6 meses, ele protege contra alergias, infecções, possui todos os nutrientes necessários, ajuda na criação dos anti-corpos, regula a flora intestinal. Além de ser um ato de amor e criação de vínculo entre mãe e filho.

Existem algumas mães que não conseguem amamentar seus filhos por diversos motivos e por isso é tão importante que mulheres sadias com leite em excesso façam a doação.

Pra doar é fácil, basta entrar em contato com um Banco de Leite Humano, veja aqui o mais próximo de sua residência e eles mandam buscar os vidros com o leite.
No Banco de Leite, eles pasteurizam e fornecem pros bebês que precisam deste rico alimento.

Quem pode ser doadora de leite humano?
 
Algumas mulheres quando estão amamentando produzem um volume de leite além da necessidade do bebê, o que possibilita que sejam doadoras de um Banco de Leite Humano.
De acordo com a legislação que regulamenta o funcionamento dos Bancos de Leite no Brasil (RDC Nº 171) a doadora, além de  apresentar excesso de leite, deve ser saudável, não usar medicamentos que impeçam a doação e se dispor a ordenhar e a doar o excedente.
Pra doar o leite materno, é importante realizar o processo com atenção, higiene e calma. Tem mulheres que por mais que tenham o peito cheio, não conseguem retirar o leite. Tente a ordenha manual e se não conseguir, tente com uma bomba elétrica.
Olha só as orientações que a Rede Brasileira de Bancos de Leite, a FioCruz fornece pra quem quer doar:

No facebook tem a fanpage Doe Leite e lá você fica por dentro de todas as informações necessárias pra também ser uma doadora.
Olha que legal, didático e super bem explicado como deve ser feito todo o processo da doação, eles chamam de Caminho do Leite (clique aqui).

 

Não tem leite sobrando e quer participar desta ato de amor?
Então doe os recipientes de vidro aos Bancos de Leite, faça também a sua parte!

Beijos,

Imagens retiradas da FioCruz, FanPage DoeLeite (links acima ao longo do texto)

Share Button