Semana passada, eu fui em em Evento da Abbott e tive o prazer em assistir a palestra “Dificuldades alimentares na infância: Os pais, os filhos, as consequências e o tratamento” do Prof° Dr. Carlos Alberto Nogueira de Almeida.

Nem preciso dizer que amei, né?

Ele explicou e exemplificou muito bem esse mau que tanto nos atormenta: a alimentação de nossos filhos.
Ficamos preocupadas se eles não comem, comem de mais e temos que nos preocupar com o que eles comem e a qualidade da alimentação deles.

Segundo o Dr., os problemas alimentares ocorrem porque nós, pais não sabemos dividir as responsabilidades e interferimos na alimentação das crianças. Quando bebês, nós pais decidimos O QUE eles vão comer e os bebês QUANTO. Já quando crianças, nós decidimos O QUE, ONDE e QUANDO comer e as crianças QUANTO.

Isso pra mim é a base de tudo, afinal, quando bebês, eles não sabem o que é açúcar, sal, doces, salgados, supérfluos e aprendem a comer o que oferecemos.

Aprendi na faculdade, que se dermos suco de limão sem açúcar e os bebês podem aceitar numa boa, pois eles não sabem o que é azedo.

Ele também falou que existem 4 tipos de pais e isso colabora para o sucesso ou fracasso da alimentação dos filhos. São eles:

Fonte: Workshop Abbott Prof. Dr. Carlos Nogueira

A cada explicação, nós mães tínhamos nossas reações. Algumas falaram que começaram de um jeito e hoje eram outro e teve até gente que disse que eram uma mistura dos 4 tipos.

A escolha do tipo de pais que sermos reflete totalmente na dieta e em nossos filhos:

Fonte: Workshop Abbott Prof. Dr. Carlos Nogueira

O mais triste de tudo isso, é que 50% dos pais são controladores e com isso, nossas crianças estão à beira de problemas alimentares.

 

Quando trocamos regalias por um prato de comida estamos afastando o prazer de comer das crianças.

Temos que tomar cuidado pra não afastar a vontade deles comerem de tudo, comerem só sob pressão, acharem que comer é algo ruim e quanto mais proibimos algum alimento, mais eles vão querer o proibido.

Além do mais, temos que tomar muito cuidado em achar que nosso filho está com fome.

Aqui em casa, eu escolho os alimentos pra Clara comer, estabeleci os horários, mas respeito a quantia que ela quer comer. Respeito os sinais de que ela não quer mais.

Enquanto ela é pequena e ainda mama leite materno, fico mais despreocupada, pois ela recebe os nutrientes adequados via amamentação.

O Dr. ainda disse que a melhor maneira de fazê-los comer, é adotarmos o estilo responsivo:

Fonte: Workshop Abbott Prof. Dr. Carlos Nogueira

Ele também disse pra jamais darmos um “lanche”, enquanto preparamos a refeição principal, assim, a criança continua com fome e come na hora certa.

Pra finalizar, ele deu 8 princípios alimentares pra gente seguir:

Fonte: Workshop Abbott Prof. Dr. Carlos Nogueira

Em resumo:

Nós devemos escolher o que nossos filhos vão comer, eles determinam a quantia. Somos o espelhos deles, ou seja,  devemos comer bem e de forma saudável pra passarmos os exemplos, rotina, horários são necessários.

Gostaram???
Espero que ajude por aí!
Beijos

Share Button

Comentários

  1. Adoro o Carlos Nogueira! Trabalhamos juntos em 2008/2009 no site Mãe com filhos e sei que, além de excelente médico, ele consegue nos fazer entender tudo de um jeito super simples.
    Pena que não pude ir, tinha confirmado mas no dia a Manuzinha resolveu mudar de lugar na barriga e encaixar, fiquei em repouso em casa.

  2. Somos muito conscientes da importância de uma boa alimentação, agora a pequena está na fase de rejeitar alguns alimentos, mas eu acredito que com o exemplo de ver que comemos de tudo ela vai reaprender a comer de tudo.
    Bjs
    #amigacomenta

  3. Paola, estou me questionando até agora que mãe eu seria, mas acredito que seja uma mistura dos 4 tipos…não sei se é melhor ou pior, mas o que me deixa um pouco mais tranquila é que sempre tento ser o exemplo e tb. ofereço apenas água…mas não chego nem perto de ser um modelo!!! Parabéns pelo post… o evento deve ter sido fantástico! bjs Camila Mamãe Viver Bem Bom
    #amigacomenta

  4. Eu gostei tanto do assunto do workshop que acabei separando em vários posts, mas vc conseguiu resumir bem legal, gostei!

    E sobre achar que o filho está com fome, passei a reparar que metade das vezes que Alice diz que está com fome ela está com outras coisas, como sono ou sede.

    Bjs
    Tati
    #amigacomenta

  5. Adorei!! Aki em casa aprendi muito com o Nanni e com a Manu. Ele é magro, como eu, come de tudo em pouca quantidade, pra mim kkkk pirei até acreditar q ele comia o suficiente para ele. Ela, apesar do refluxo é boa de garfo, com ela o cuidado é outro, as refeições tem que ser junto com a nossas se não corre o risco dela comer de novo. Ela nao pode nos ver comendo q quer não importa o que seja.
    Fiquei aliviada de ver que estou mais para responsiva kkkk
    Bjs
    Mari
    #amigacomenta

  6. Queria ter assistido essa palestra tb pq iria ser de GRAAANDE valia, mas só consegui ficar na de manhã.
    Aqui em casa nada disso funciona, eu fico muito frustada pois por eu ser técnica em nutrição achei que meus filhos fossem comer bem e que nada! Os 2 meninos me deram MUUUUITO trabalho pra comer. E dão até hj sendo que eles tem 6 e 4 anos.
    Ainda bem que a Sara não está indo pelo mesmo caminho, ela come super bem e aceita todos os alimentos que ofereço, estou vivendo o paraíso com ela!
    Mas o que eu faço aqui em casa hj em dia é exercitar a paciência, pois sei que um dia eles irão passar a comer melhor, pelo menos eu espero!
    Bjos
    Elaina Furlan #amigacomenta
    http://www.vidademae.net

  7. Aqui em ksa respeito sempre os limites do Arthur!as vezes ele come muito e ate pede pra repetir, outras só com um pouquinho ele se satisfaz!
    Além de tudo paciência, muita paciência!
    Beijos Pri
    #amigacomenta

  8. Paola, como a Chris Ferreira comentou, deve te sido tudo de bom, hein? Ainda bem que você compartilha com a gente. Acho que depois dos primeiros três meses, a alimentação é o quesito mais díficil da maternidade. Ui! Quem nunca passou por isso, gente?

    Adorei as dicas!
    Um abraço,
    Flávia Pellegrini
    @blognapracinha
    #amigacomenta =)