Quem me acompanha por aqui ou na fanpage do Maternidade Colorida sabe o quanto me preocupo com a alimentação da Clara e isso é independente de eu ser Nutricionista, é algo que quero muito conseguir ensiná-la em traumas, guerras e dramas.

Semana passada dei uma entrevista em um programa de TV sobre Obesidade Infantil e o Documentário Muito Além do Peso foi a base da conversa.

Como mãe, percebo a dificuldade que é você fazer as pessoas entenderem o pôr que de ser tão “chata” com a alimentação da Pequena, principalmente pra toda família.
Digo família, porque é o meio que ela irá crescer, participar de almoços, confraternizações e verá todos os hábitos certos e errados de cada um. Além de deixar claro que não é pra dar isso ou aquilo pra minha filha e sempre ser taxada como chata e não como uma mãe consciente.

Todos da minha família sabem o quanto eu sou brava e não encontro muitos problemas com isso, acredito que por eles me conhecerem bem, não vou sofrer por alguém oferecer uma bolacha antes da hora.
Por outro lado, escuto com uma certa frequência comentários de que sou radical e que seria melhor se eu fosse só decoradora rs, ou a famosa frase que muitas de nós escutamos:

– Quero ver quando ela crescer e souber o que é bom de comer!

Sim, Clara e todas as crianças, seres humanos devem ter contanto com os alimentos, mas como sempre friso, a base da alimentação deve ser a mais saudável possível, devemos sim nos preocupar com os alimentos escolhidos, sua procedência, ler os rótulos e conhecer o que realmente estamos consumindo.

Muitas de vocês sempre acharam ou acham que os famosos sucos de caixinha ou néctares eram/são bebidas super saudáveis e mil vezes melhor do que refrigerante, e quando descobrem a quantia de açúcar que eles contém ficam de boca aberta.
Umas se chocam e não consomem mais, outras atribuem a falta de tempo e continuam a consumi-los.
Além dos sucos, existem uma vasta lista de alimentos que todo mundo sempre consumiu sem saber a real quantia de corantes, conservantes, açúcares, gorduras e sódio. Ingredientes estes que causam um dano lascado à saúde.

Querem exemplos: gelatina, pettit-suisse, bebida a base de soja, biscoito polvilho, salsicha, bisnaguinha, farináceos pra colocar no leite, bebida láctea pronta e outros mais.

Não sei se falei por aqui, mas o Marido não tem nenhuma tendência em engordar e adora comer frituras, refrigerantes, besteiras, mas tem medo da Clara ficar acima do peso ou ter problemas com peso e desde quando ela só mamava (antes da introdução dos alimentos sólidos) a gente conversava bastante sobre a alimentação dela e de como a nossa teria que mudar.

Até aí, tudo é muito lindo, né? Mas no dia a dia, as coisas ficam bem mais difíceis.
Como tirar alguns hábitos de uma pessoa de 44 anos, que não entende várias coisas sobre alimentação, mas como a maioria das pessoas acredita que sabe o que é uma alimentação saudável e equilibrada?

Algumas perguntas dele me causaram um pouco de medo:

– Quando ela vai poder tomar suco com açúcar?
– Quando ela vai poder comer bolacha?
– Quando ela vai poder comer bolo?
– Até quando você vai amamentá-la? 

Confesso que não sei qual pergunta mais fisgou minha espinha, mas no fundo acho que foi a da amamentação, mas isso é assunto pra outro post e só pra lembrar: A OMS (Organização Mundial da Saúde) indica amamentar até os 2 anos, sendo que até os 6 meses deve ser exclusivo.

Pensei, pensei e resolvi fazê-lo assistir o Documentário Muito Além do Peso.

Cartaz do Documentário retirado do próprio site

Ele assistiu, prestou atenção e suas considerações foram:

– Não sabia que era tão assim.
– Não imaginava que um pacote de bolacha tinha tanto açúcar.
– Não acreditava que o suco de caixinha fazia tanto mau.
– Realmente você está certa em se preocupar, é muita judiação com as crianças.

Também fiz questão de frisar a parte da televisão, pois ele é viciado em TV e quis mostrar como é importante nós evitarmos que Clara veja televisão desde pequena.

Inclusive ele falou pra eu mostrar o vídeo pro meu sogro, assim, não corremos risco dele querer ser o avô legal e dar o que não deve pra Clara, principalmente agora que ele vai morar conosco.

Já viram o vídeo? Ele tem mais de uma hora de duração, não é cansativo e vale super a pena assistir com toda a família, assim, conseguimos provar porque somos tão “xiitas”, “chatas” e todos outros adjetivos que recebemos.

Fiquei feliz com o resultado e indico que se vocês tem dificuldade em fazer as pessoas entenderem o porque de algumas “restrições” na alimentação dos filhos de vocês.
Valeu a pena aqui, aposto que tirei um estresse maior na minha relação com o Marido e a alimentação da Clara e nossos novos hábitos.

Beijos

Share Button

Comentários

  1. Menina, Um dia estava na casa da minha tia Quando chegou uma vizinha pra tomar Café E quando eu vi ela tinha lambuzado A boca do meu filho de cinco meses com DOCE DE LEITE! Eu dei um grito como se a Coitadada Senhora tivesse colocado veneno na Boca do menino!.. rs. noS dUas Aprendemos a liçao, ela de nao colocaNada na boca das Criaças sem autorizaçao E Eu de nao descuidar nem com estranhos bem intensionados