Imagem daqui

Muita gente me pergunta como deve ser a alimentação depois que o bebê faz 1 ano. tanto no consultório, como nas consultorias que faço, percebo que esta é uma das grandes dúvidas, dificuldades e problemas da alimentação infantil.

Quando chegamos nos 6 meses e damos início a introdução alimentar, temos diversos medos e dúvidas e isso muitas vezes ajuda a não colocarmos o pé na jaca, salvo exceções de orientações erradas de parentes, amigos, pediatras, papagaio e periquito rs.
Mas aí o tempo passa, o bebê se torna criança, faz 1 ano e as coisas mudam e tem que mudar.

O grande problema é que é aí que entra os hábitos alimentares dos pais na vida da criança e consequentemente se forem errados, a criança comerá errado.

Temos que ter consiência de que nós conhecemos os sabores da vida, os alimentos deliciosos que fazem mau e os que fazem bem também, nós é que conhecemos o azedo, amargo, saldado e o doce. Teoricamente, nesta fase, a criança tem que saber o sabor dos alimentos naturais. O doce das frutas e não do açúcar, do doce de compota ou pettit suisse. Ela tem que conhecer o salgado das verduras, legumes, carnes e temperos com pouquíssimo sal e não porque comeu salgadinhos, frituras e sal adicionado em excesso no seu prato.

Já falei, sempre falo bastante sobre isso aqui: Somos nós que escolhemos o que os bebês e crianças vão comer, eles escolhem a quantia (afinal, não sabemos ao certo o quanto cabe no estômago deles, né?).
Então se seu filho só come com farinha ou farofa, foi você quem acostumou, se ele só come se coloca queijo ralado na comida, foi você quem acostumou, se só toma suco de uva de caixinha, foi você quem acostumou, se só toma leite com engrossantes cheios de açúcar, foi você quem acostumou.

O fato é que agora com 1 ano, a criança pode comer comida dita da “família”, mas eu prefiro dizer e orientar que a família coma a comida da criança, pois na teoria é bem mais saudável.

Como deve ser a comida e alimentação da criança:

Evite
Prefira
 
Temperos prontos  
Use os temperos naturais: cebola, alho, salsinha, cebolinha, manjericão, coentro, salsa, manjerona e etc
 
Açúcar refinado  
 Se for usar, que seja com muita moderação. Sabe aquele bolo simples de fim de semana? Tudo bem, seu filho pode comer. Mas prefira o açúcar mascavo ou então o demerara que além das calorias também possuem outros nutrientes.
 
Sal em excesso
O sal pode ser usado pra dar um toque na comida. Além do sódio, o sal contém iodo e é importante pra criança. Tem o sal marinho que é mais puro e melhor.
Frituras
Comece a mudar este hábito na sua casa, prefira preparações assadas, grelhadas, cozidas à frituras de imersão.
 
Molhos prontos
Na sua grande maioria, eles são ricos em sódio, conservantes, aditivos. Dê uma variada nas receitas e evite usá-los, caso não tenham tempo ou não saiba fazer em casa. No caso do molho de tomate, nada melhor do que o caseiro, né?
Embutidos
Apesar da tentação e de ser denominado comida de criança, a salsicha é uma bomba pro seu filho. Não resiste ao hot – dog? Lembre-se, é você quem conhece esse lanche e seu filho não precisa conhecer neste momento. Aqui também entra: salame, presunto, blanquet, mortadela. Prefira sanduíches, tortas com outros recheios. Use a criatividade!
Doces  
Aqui entra tudo o que tem açúcar em excesso. Calma! Seu filho tem apenas 1 ano e não precisa comer doce agora. Se for comer, que seja com MUITA moderação e nunca troque uma refeição pelo doce.
Salgadinhos
 Sabe aqueles de saquinho que toda criança ama? Pois bem, são ricos em sódio, açúcar, gordura, conservantes, aditivos e nada acrescentam de bom  na saúde de seu filho. 
Bolacha recheada ou sem recheio
Ricas em gordura, açúcar, conservantes, aditivos. Sabia que 1 pacote de bolacha recheada equivale a 8 pães francês ou de sal? Pois é, pra que dar isso pra criança?  Prefira os biscoitos integrais sem recheio.
 
Chocolate
 Chocolate é a oitava maravilha do mundo, a maior parte das pessoas não vivem sem chocolate, mas o que é bom do chocolate e causa toda sensação de bem estar é o cacau e pra comer o cacau de verdade, o chocolate precisa ser aquele amargo, dark, sabem? Com moderação, não tem problema, mas ressalvo: pra que dar agora chocolate pra seu filho? Não pode esperar mais um pouco?
Chocolate branco não é chocolate, é sim um monte de gordura. Cuidado com os chocolates infantis, que são MUITO doces e o cacau passa lá longe.
Fast food
Acho que este nem precisava falar, mas vamos lá: Na sua grande maioria é gordura, açúcar, fritura, conservantes, aditivos em excesso. O melhor é você ensinar seu filho a comer bem, aquele prato todo colorido. Quer sair pra comer no shopping? Escolha um restaurante por quilo ou que sirva comida e não lanches.
 
Farináceos e engrossantes ricos em açúcar 
 A criança tem que tomar o leite, se for engrossar, que seja com cereal integral natural: aveia, farinha de aveia, farinha de arroz, mas SEM açúcar.
Quer adoçar? Bata com uma fruta: banana, maçã, mamão são exemplos ótimos pra adoçar.
Sucos de caixinha, néctares e refrigerantes 
 Ricos em açúcar, conservantes e aditivos. Prefira os naturais. Não tem tempo de fazer? Use as polpas. Ainda sem tempo? Incentive a ingestão da água e ofereças as frutas em pedaços.
O hábito do suco é nosso, não das crianças.
Fonte: Maternidade Colorida
 

Com 1 ano, a criança deve estar comendo as consistências normais dos alimentos e não mais amassado, frutas inteiras ou em pedaços, como no caso da maçã, pêra, manga já podem entrar na rotina das que não estavam acostumadas a comer sozinhas.
Se antes, na época das papinhas tinha sujeira, agora terá mais, pois logo chega o momento deles quererem comer sozinhos.

Agora, já devemos criar a rotina das refeições que eles vão fazer diariamente: Café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar.
Claro que os horários são de acordo com a rotina da casa ou escola de vocês, mas é importante a criança saber que precisa realizar essas refeições.

Aqui em casa faço assim: Café da manhã, almoço, 2 lanches da tarde e jantar.
Não faço o lanche da manhã, pois ela almoça cedo na escola e tem 2 lanches da tarde, pois o jantar é em casa e mais tarde. Tudo é uma questão de adequar com sua realidade. O primordial é não deixar as crianças com fome e sem oferta de nutrientes.

 

Quanto mais variado for o cardápio da criança, mais ofertas de nutrientes ela terá e mais amplo será seu paladar.
Converse com a criança e fale que o café da manhã é o café da manhã, fale o nome do que ela está comendo e assim com todas as outras refeições.
Ela pode parecer não entender, mas aos poucos vai te mostrando o que gosta, mais gosta e não gosta além de cuspir.
Aqui em casa quando pergunto pra Clara se ela quer banana por exemplo, ela aponta pra cozinha e faz sim com a cabeça.
Outro ponto importante é sempre oferecer água e deixar o copo de água sempre por perto da criança.

Como é a alimentação por aí?

Beijos

Share Button

Comentários

  1. olá, me tire algumas DÚVIDAS, por favor? PAO INTEGRAL: pode ser o de saquinho tipo pao de forma da pulman, wick bold? MANTEIGA: qual é melhor? REQUEIJÃO: qualquer um light? Vc tem receitas pra fazer em casa para criança de 1 ano?

  2. Oie!!!!!
    Pão: escolha os que tem menos sódio, eu gosto mais daqueles feitos em padaria, sabe?
    Manteiga: as com menos sódio tb!
    Requeijao: com menos sódio. Eu uso bastante o orgânico

    No blog tem muiiiiiiiiiiiiiiiiiiiitas receitas, a maioria pra crianças de 1 ano!
    Beijos

  3. Olá,Cecy!!! Me desculpe a intromissão,mas minha filha tb está com 13 meses e 1 semana e tb estava enfrentando esse problema que já estava me angustiando.Nunca bati no liquidificador mas amassava com o garfo,mas muito bem amassado que saia igual ao liquidificador.Quando deixei o arroz inteiro minha filha engasgou e fez vômito várias vezes,não aceitava nada inteirinho até mês passado.Fui acrescentando aos poucos e ainda estou nessa batalha,rsrsrsssss…Amasso alguns com o garfo para dar uma liguinha e deixo outros inteiros,como o arroz mais cozidinho,o frango cortado em cubinhos bem macio e assim ela começou a mastigar semana passada,ai eu coloco um purê,uma moranga,barôa amassada e eles inteirinhos no meio.As vezes ela até engole tudo inteiro que percebo,mas antes tinha um pouco de aflição de sentir o pedaço e cuspia,agora não.Vai aos pouquinhos colocando na boca e sentindo,as vezes ainda está engasgando e eu viro ela,faz vômito,mas não podemos ficar com medo,eles dão conta aos poucos.Acho tb que vai de acordo com os dentinhos e o tempo deles,mas na verdade os medos são nossos,deles engasgarem,rsrsrsssss…Agora estou colocando já brócolis,vagem picadinhos,entrego na mão e ela vai se virando.Amasse com um garfo e deixe algo mais cozido no meio ,por exemplo .uma batatinha e deixe ela mastigar,sentir,aos poucos chega lá.Estava aflita tb mas depois disso minha filha está melhorando.Estou ainda tb tentando dar as coisas no tempo dela,sem facilitar!!! São espertos,querem mordomia,kkkkkk….falo o tempo todo,a cada colherada:" Mastiga,mastiga!!!!" e faço tb como se eu estivesse mastigando para ela ver,morre de rir e me imita.rsrsrssss….Espero não ter incomodado e ajudado um pouquinho.Me coloquei no seu lugar.

  4. Nem sei se vc poderá responder mas vamos lá. Tenho um bebê de 1a2m que não come, começamos a IA com 6m e meio, oferecendo os alimentos inteiros para ela manusear e provar, ela começou a provar alimentos com 9 meses. Ainda assim não aceitando comida de sal, e até hj seguimos assim, mesmo os "doces" ela não come inteiro, come duas ou três mordidas e não quer mais. Pães e bolos ela aceita com mais facilidade, frutas geladas batidas (açaí, sorvetinho com banana) tb aceita um pouco mais, mas na hora das refeições às vezes só come 2 colheres de sobremesa de arroz, ou nem isso. Antes ela aceitava o macarrão com molho, agora não mais, nem feijão, nem nenhuma carne, verdura ou legume. Não dou nada em substituição, nem amamento, ainda assim passam-se os dias e ela segue sem comer. O pediatra acha estranho, mas como ela ganha peso e desenvolve normalmente não sugere nada, o homeopata apenas disse que ela não tem apetite, afinal não pede nenhum alimento em substituição e mesmo quando foi pra creche não comia nada o dia todo.
    Minha mãe conta que eu não comia até três anos de idade, não aceitava e ficava sem comer, tem momentos que me parece ser da personalidade dela, e que em algum momento ela vai comer, mas em outros momentos cansa preparar tudo e ela não aceitar nada. Fui olhar os cardápios para ter uma noção se eu estaria fazendo "certo" e fiquei assustada com a variedade pois quase nada ela come.