Imagem Pinterest

Imagem Pinterest

Eu sempre escutei que dar muito colo para os bebês os deixa mau acostumados. Minha avó passou isso para minha mãe, que tentou passar pra mim. Eu, mãe de primeira viagem e em uma família sem bebês até a Clara, me senti perdida em muitos momentos, até que meu coração “mole” de mãe resolver dar espaço na minha forma de maternar e o colo foi mais que liberado. Foi nossa ligação, a criação de um vínculo, respeito mutuo, amor incondicional. Colo tem muito importância para os bebês, então porque não dar?

Além dos palpites de muitas pessoas, tinham os comentários nos grupos maternos, e muitos deles eram sobre não dar colo para os bebês, em não acostumá-los a dormir no colo, em não colocá-los pra dormir na cama… Tudo não, não e não! Gente, colo é essencial. Como eu queria que todos os profissionais pediatras explicassem a importância do colo para bebês e crianças ao contrário de só falarem que os deixam manhosos e mimados. 

Por mais que eu entendesse, eu não compreendia, ou melhor, não aceitava tantos “nãos” para pessoinhas que tinham acabado de nascer, e o que mais precisavam era amor e a mais pura demonstração deste amor, com colo, carinho, atenção!

Lembro que me diziam pra não dar muito colo pra Clara, pois como ela iria para o berçário aos 5 meses e meio, iria deixá-la mal acostumada e no berçário ela iria sofrer por não ter colo.

Pensem, quem em sã consciência fala isso pra uma mãe de primeira viagem, sofrendo por antecipação em ter que colocar sua bebê no berçário tão novinha?

Mas vocês podem estar se perguntando como foi que resolvi virar as costas para todos e ouvir minha cria! Simples, ela precisava de mim, eu a desejei, a planejei e, independente de qualquer privação de sono, cansaço ou palpite alheio, era de mim que ela precisava, era o meu calor que iria acalmá-la, eram os meus batimentos cardíacos que iriam tranquilizá-la. Era no meu colo que ela ia encontrar a segurança e aconchego que precisava naquele momento!

Então, porque eu, mãe em sã consciência iria privá-la disso?

Bebês nascem e levam um tempo pra entender todas as mudanças de dentro do útero para o mundo. São barulhos, temperaturas, sensações …. Tudo diferente! E eles precisam de colo para compreenderem tudo isso. Precisam se sentir seguros, precisam entender que aqui fora, existem pessoas que os amam, os protegem … Somos nós, pais, familiares! 

Pra que deixá-los chorar? Pra aprender o que? Que na dor, na solidão do quarto escuro ou com aquela luzinha de tomada é que ele vai aprender algo? Pra que servimos então? Onde está o apoio dos pais neste momento? Porque não dar colo para os bebês?

Ah! Quando sua filha crescer vai sambar na sua cara! Faz tudo pra ela, dá colo, não deixa ela chorar …. Cuidado, você está criando um monstrinho.

Sim, eu escutei isso e não foi 1 única vez! Mas aí eu pensei: sambar na minha cara? Ser um monstrinho?

Não! Simplesmente não!

Clara, aos 4 meses em seu batizado.

Clara, aos 4 meses em seu batizado.

Caráter, índole, educação é ensinada com carinho, respeito, amor, exemplos e não a base de dor, sofrimento e paulada. Minha filha está sendo educada para ser uma pessoa melhor no mundo. Vai acertar, vai errar, afinal, ela é humana e não é perfeita. Não existe perfeição! E eu, como mãe, estarei ao lado para ensiná-la, protegê-la, ampará-la sempre que possível. Por aqui, escolhemos criá-la com apego e já falei sobre isso faz um tempo, relembrem AQUI.

Colo acalenta, fortalece o vínculo entre o bebê e o adulto. Não é só colo de mãe, mas colo de pai, de avós, padrinhos. É demonstrar o carinho e amor que você tem por eles. Colo deixa a criança mais segura, ela sabe que tem pra onde voltar. Quantas de nós não quer colo já adultas?

Ela não vai crescer mal acostumada se em um momento de sono vier dormir no meu colo. ela não vai ser mal educada porque quando ela era bebê eu a fazia dormir em meu colo, ninando, cantarolando, amamentando.

Ela sempre vai saber que tem um porto seguro pra se apoiar, não terá medo de pedir ajuda, COLO e carinho.

Clara tem 3 anos e 5 meses e recebe muito colo, sempre que precisa e não é dependente, mimada ou algo do tipo. É uma criança que sabe que é amada, sente-se segura e confia em nós!

Beijos.

Share Button