Imagem Pìnterest

Imagem Pìnterest

E seu filho fez 2 anos e você não sabe como deve manter a alimentação dele? Calma, eu sei que parece que foi ontem que ele nasceu, ficou 6 meses em aleitamento exclusivo, não comeu doce até então. Nem na sua festa de 1 ano comeu o brigadeiro, nas duas páscoas que comemorou também não ganhou ovo de chocolate. Mas e agora? Como fazer daqui pra frente com os tão sonhados dois anos e a orientação da SBP em que até essa idade era pra evitar o açúcar? É hora de matar toda a vontade alheia em relação aos doces? Como fica a alimentação agora? No post de hoje trago 6 dicas de como fica a alimentação depois que a criança faz 2 anos!

Percebo que mais do que o desejo da criança que NÃO conhece o sabor dos doces, guloseimas, chocolates e afins até alguém oferecer, tem o desejo que grita dos adultos ao redor em oferecer tais produtos pros bebês e crianças.

Infelizmente existe uma linha muito tênue entre direitos, respeito e o filho é meu, dá licença?!? E nesta linha, muita gente reclama da falta de respeito das pessoas. Graças à Deus eu não tenho este problema. Todos ao meu redor me respeitam, até porque não dou liberdade pra me desrespeitarem no quesito alimentação da minha filha.

Sim, pra mim é a maior falta de educação alguém dar algo pra minha filha comer sem me perguntar antes, além de super perigoso, afinal, não sabem se ela é alérgica, diabética ou tem qualquer problema de saúde que a impeça de consumir nutrientes específicos.

Ela não é mais triste que nenhuma criança que consome mesmo que esporadicamente produtos desnecessários, posso dizer que ela é saudável e sim muito feliz e amada. Hoje, nem menos, nem mais que os outros, simplesmente saudável e o melhor, eu tenho a garantia e certeza de estar fazendo o certo.

Uma situação que aconteceu aqui em casa esses dias e eu achei muito engraçado mostra como a questão de criar hábito é verdade. Eu estava comendo aquelas bananinhas de Paraibuna com açúcar, sabe? Minha mãe a versão sem açúcar. Clara veio e pediu um pedaço da minha bananinha. Lambeu, fez cara feia e cuspiu. Foi até a avó, pediu, lambeu, mordeu e “roubou” o resto da bananinha da avó.

Percebam que a minha que era mais doce, tinha o açúcar ela rejeitou e a outra que eu não gosto ela amou e comeu metade. A quantidade que pra ela é suficiente pra ingestão de algo mais doce que o sabor adocicado das frutas.

Precisamos de uma vez por todas desvincular o afeto do doce, do açúcar, das guloseimas. Precisamos acreditar que alimentação saudável também é “legal” e desvinculá-la da chatice que muitos a colocam.

Costumo dizer que agora é que precisamos ter mais atenção com a alimentação de nossos Pequenos, porque não devemos deseducá-los em relação às escolhas alimentares.

Agora comer o açúcar não é mais “proibido”, alguns produtos que antes não eram recomendados já podem ser consumidos, MAS sempre é bom algumas dicas, não é?

1 – Açúcar:

Imagem Pinterest

Imagem Pinterest

Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, depois dos 2 anos está “liberada” sua ingestão sem ser de forma intrínseca. Mas eu te pergunto:

Pra que adoçar o suco de fruta de seu filho está acostumado a tomar suco sem açúcar?

Pra que colocar achocolatado cheio de açúcar no leite, se seu filho está acostumado a tomar leite puro ou batido com fruta?

Pra que fazer doces cheios de cremes e recheios se seu filho está acostumado a comer frutas?

Pra que rechear e cobrir os bolos se seu filho está acostumado a comer os bolos caseiros de forma simples?

Pra que trocar o suco industrializado sem açúcar pelo qual tem açúcar?

Pra que colocar chocolate e bolos prontos na lancheira se ele está acostumado a levar fruta?

Pra que dar bolacha recheada se seu filho está acostumado a comer biscoitos sem recheio, os caseiros de preferência?

Assim como estas perguntas, tenho outras pra te fazer e você mesma perceber que sua pressa em dar o que VOCÊ já conhece e gosta pode facilmente se tornar hábito.

O açúcar, assim como o sódio, frituras e etc deve ser sempre com moderação, em casos específicos.

Digamos que agora, seu filho pode ir na festinha e comer o brigadeiro sem culpa. Só não vai deixá-lo comer 10 unidades porque pode dar dor de barriga rs. Você pode fazer um bolo ou até mesmo um pudim no fim de semana e deixá-lo comer de sobremesa.

Mas não deve virar hábito, não deve estar presente sempre.

2 – Batata frita:

Deposit Photos / © Reanas

Assim como o açúcar, aposto que muita gente morre de vontade de dar a tão famosa e apetitosa batata frita pras Crias.

CALMA! Estou dizendo ba – ta – ta frita e não fast food que vende batata frita, lanche, refrigerante, brinquedo e maçãzinha pra ser menos “culpado”.

Se você quer dar batata frita pro seu filho, de novo, SEM ser sempre, sem estar presente mais que duas vezes na semana ou uma vez por semana, toda semana do mês, dê. Não é preciso, não é necessário, acho que pode esperar ele estar em alguma festinha e ter esta opção no cardápio e ele por curiosidade querer provar e você deixar.

Mas caso seu “siricutico” desnecessário de introduzir batata frita na alimentação do seu filho for maior, que você compre batata na feira, sacolão ou supermercado, a descasque, pique em formato palito ou seu preferido, coloque na assadeira, regue com óleo de girassol ou azeite e leve ao forno pré – aquecido por 40 minutos, sendo que na metade do tempo, vire-as e se necessário regue mais um pouco com o óleo.

Quer fritar mesmo, não tem jeito? Lembre-se é VOCÊ que conhece a textura da batata frita em imersão, não seu filho. Será mesmo que ele precisa conhecer já só porque fez 2 anos?

3 – Salgadinhos de festa:

Imagem Pinterest

Imagem Pinterest

Cozinha, kibe, esfiha, risóles, empadinha e tudo mais que nós adultos conhecemos e nos deliciamos quando vamos em festinhas, certo?

De novo eu falo, se for em festinhas de aniversário, sem problemas. Deixe seu filho comer, escolher e descobrir os alimentos, mas sempre dê preferência ao assado.

Se for fazer em casa, faça kibe assado ao invés do frito. Opte por fazer esfiha ao invés de coxinha. Quer comer salgado recheado com frango ou queijo? Ué, faça enroladinho de frango, de queijo.

Busque opções com massa integral e varie os lanches do fim de semana.

RECEITA pra te ajudar: Esfiha integral

4 – Trocar refeições pelos lanches:

Imagem Pinterest

Imagem Pinterest

Grande parte das famílias chega na sexta feira e ama a praticidade e delícia de comer lanches. Mas até nesta hora não precisamos colocar o pé na jaca.

Pense mais uma vez: Seu filho tem apenas 2 anos, 24 meses de vida perto dos seus sabe lá quantos anos.

Existem coisas que eles não precisam conhecer ainda. Na vontade mega de jantarem lanches, acho importante ainda não tirar o jantar da criança pequena. Ofereça o jantar normal e no horário que vocês forem lanchar, ofereçam o lanche em menor quantidade. Mesmo porque, normalmente as crianças jantam na escola ou mais cedo que os pais, ou seja, eles jantam a comida e depois lancham pra interagir. Ambas as refeições podem ser com quantidade menor de comida, mas ainda acho cedo tirar o prato de comida e oferecer lanches no lugar.

Se nós adoramos e muitos preferimos lanches, imagine com eles? Se formos pensar, são 3 dias seguidos em que muitas famílias lancham ao invés de comer comida. Já pensaram como será a segunda feira? Outro ponto pra se pensar, são 12 dias no total, ou seja, quem come lanche sexta, sábado e domingo à noite janta metade do mês lanches.

Será mesmo que isso é bacana pro seu filho de 2 anos?

Opções de lanches bacanas:

Pão com queijo quente, se colocar tomate com orégano e alface, melhor ainda

Hambúrguer caseiro, ou melhor, cheese salada caseiro

Torta de legumes, cupcake de vegetais

Pizza (caseira é bem melhor)

Tome cuidado com os molhos prontos (maionese, mostarda e catchup), pois contém muito sódio e eles NÃO conhecem esses molhos, ou seja, ainda é cedo!

Nada de salsicha, embutidos em geral (peito de peru, presunto, salame, mortadela, salsichão). Isso mesmo, NADA!

5 – Pra beber:

Imagem Pinterest

Imagem Pinterest

Pra matar a sede e hidratar: ÁGUA! Suco de fruta natural ou suco de fruta industrializado sem açúcar. Nem vou falar todos os “porques” ainda não deve dar refrigerante, não é?

 

6 – Orientações gerais:

Imagem Pinterest

Imagem Pinterest

  • É normal aos 2 anos eles deixarem de comer certas coisas e passarem por fase do:  – Verdinho não! (Dei dicas dobre isso neste post);
  • A vida social dos Pequenos fica mais agitada, por isso os hábitos saudáveis são importantes pra continuar no caminho certo;
  • Agora é mais fácil explicar porque não pode certas coisas pra eles e combinar horários e situações;
  • Não coloque tudo à perder agora, continue firme e forte na escolha dos hábitos alimentares de seu filho;
  • Deixe claro pros outros ao seu redor que o filho é seu e é você quem decide quando ele vai comer o que.

Não estou falando pra deixar as crianças em uma redoma de vidro, mas sim pra mostras que o às vezes não é tão às vezes, que sim, devemos continuar com firmeza na alimentação. Afinal, que adianta ser toda regrada até 2 anos e agora esquecer e liberar tudo?

Sabe aquela frase: Aprecie com moderação?

Pois bem! É isso. E pra isso, somos nós pais os responsáveis, ainda, pela escolha alimentares de nossos filhos!

Qualquer coisa, grita que #tamojunto #falaqueeuteescuto #foconaalimentação #valeapena

Love you”s” tudo!

Beijos

Links que vocês podem gostar: 
21 Alimentos que crianças não devem comer antes de 2 anos ou mais
Share Button

Comentários

  1. O meu bebê tem 1 ano e 5 meses. E sigo a linha da alimentação natureba.
    Concordo com a falta de educação quando alguém lhe oferece algo sem antes me perguntar.