Imagem Shutterstock

Imagem Shutterstock

A partir do momento em que você decide engravidar algumas coisas já podem e devem começar a entrar em sua organização. Emagrecer (se for o caso), estar com uma saúde bacana, mudar hábitos de vida, alimentares, começar a busca por um médico que te respeite, juntar grana, estão entre os itens que devemos pensar e muito quando estamos planejando a gravidez.

Quando eu e marido decidimos engravidar da Clara, além dos devaneios de mulher na fase de tentativas da sua primeira gravidez, fiz algumas coisas que foram importantes ao longo dos meses que antecederam o resultado de positivo e ao longo da gravidez. Algumas coisas devia ter visto com mais atenção, e caso engravide de novo, vou fazer diferente em alguns aspectos.

Como este é um assunto em pauta aqui em casa, até escrevi sobre isso no post sobre ter ou não ter o segundo filho,  estamos colocando tudo no papel e está sendo bem bacana, pois marido está participando de tudo. Claro que ele sempre acha exagero ou que não é preciso pensar em tanta coisa ou simplesmente pensar em tudo, mas eu sempre penso hahahahaha.

Vamos a listinha básica do que acho importante:

  • Começar as ler sobre parto, entender do assunto para tentar evitar surpresas desagradáveis na hora H. Quem me acompanha sabe que a dor do meu parto é algo que ainda dói e que quero que seja diferente na próxima vez. Por isso, já começarei meu intensivão leitura.
  • Ver quais maternidades, laboratórios seu convênio cobre para o parto e exames laboratoriais do pré natal. Bom, já sei que na maternidade particular que teoricamente aceita-se parto normal não posso, pois meu convênio não cobre, então terei que pensar muito nisso. Se quero mudar o plano e esperar a carência, se ficarei com este plano mesmo e tentarei nas maternidades que ele atende ou se terei o plano C.
  • Encontrar um médico que pense como você na questão parto. Adoro, confio e respeito meu ginecologista, mas ele é cesarista e não quero de novo uma cesárea desnecessária. Aceito uma cesárea se for a única solução. Independente do parto, ele não aceita meu convênio novo e até acho que já é um sinal mesmo, sabem? hahahahaha Ou seja, preciso encontrar um novo G.O pra chamar de meu!
  • Depois de escolher o parto que você quer ter, saber quanto ele vai custar e como fará para pagá-lo. Bom, aí começa o primeiro quesito fator grana, não é? Pois é! Parto lindo, humanizado, dos sonhos parece ser sempre bem caro, por isso, já quero saber quanto custa realmente e como juntarei a grana, pagarei e etc. Na gravidez da Clara, descobri com 33 semanas que tinha que pagar uma taxa bem alta e fui pega totalmente de surpresa. Não quero isso de novo.
  • Tomar ácido fólico e DHA. Decidiu que quer engravidar, já comece a tomar o ácido fólico e o DHA. Pergunte ao seu médico ou nutricionista e eles te indicam a melhor opção. Eu tomei um suplemento vitamínico manipulado show de bola
Imagem Shutterstock

Imagem Shutterstock

  • Fazer mudanças na alimentação e ter uma o mais saudável possível. Alguns alimentos ajudam na hora da fertilidade (relembre aqui sobre a dieta da fertilidade) e outros são essenciais para o feto logo nos primeiros dias, ou seja, enquanto está na fase tentante e não sabe se está ou não grávida, é interessante comer adequadamente.
  • Fazer um check-up para ver se está tudo certinho com você. Quando resolvi engravidar, fui até uma amiga ginecologista e ela me passou exames do fio de cabelo até a unha do pé e foi no meio desses que descobri nódulos na tireóide. É super válido saber se está tudo certinho, se não tem anemia, colesterol, triglicérides alto, por exemplo. Assim já cuida antes mesmo de engravidar.
  • Estar dentro de um pedo ideal para sua saúde. Não é por estética e sim saúde mesmo. Na gravidez ganhamos peso e já estar acima do peso pode acarretar problemas durante a gestão e até mesmo para o bebê. Por isso, cuide-se antes!
  • Comece a praticar alguma atividade física que não precise parar na gravidez e que pode te ajudar. Yoga, Pilates, Hidroginástica são boas opções.
  • Parar de fumar, não beber bebida alcoólica, não ingerir medicamentos que gestantes não devem tomar e qualquer tipo de droga.
  • Como juntar as férias com a licença maternidade. Eu fiz isso e graças à isso consegui ficar 5 meses e 15 dias com a Clara, pois aonde trabalhava eram só 4 meses de licença. Ou seja, caso você tenha férias para vencer e quer engravidar, tenta guardá-la para quando o bebê nascer.
  • Tentar ficar mais calma, independente do seu dia a dia. Tente desde já a trazer um pouco de paciência para sua rotina e vida. Faz um bem danado.

Bom, por enquanto eu acho que é isso. E por aí? O que mais vocês fizeram ou estão fazendo?

Beijos.

 

Share Button