Imagem: Shutterstock

Muito se fala sobre alimentação infantil, muito se debate sobre o assunto e parece que de repente surgiu dois grupos de mães e de profissionais. Por um lado tem as mães classificadas como chatas, xiiitas e que não deixam seus filhos comerem nada de açúcar, industrializados ou afins, contra as mães que se dizem equilibradas e que se seus babies comerem só um pouquinho não vai fazer mal nenhum pra saúde deles. Em relação aos profissionais, existem os que liberam alimentos como bolachas, petit suisses antes mesmo de 1 ano e aqueles denominados mais rígidos que mandam esperar até pelo menos 1 ou 2 anos. Mas o que será que acontece com a alimentação nos dias atuais? Será que realmente sabemos como equilibrar nossa alimentação e consequentemente as de nossos filhos ou estamos mesmo vivendo um terrorismo nutricional?

Com alguns anos de formada (sou formada em nutrição desde 2001 pelo Centro Universitário São Camilo e pós graduada pela Escola Paulista de Medicina) eu percebo que muita gente acha que sabe comer, mas no fundo não sabe e isso não é culpa delas, pois as informações chegam muito picadinhas ou então em meios de comunicação de forma errônea.

Sempre aparece um alimento mocinho e sempre tem outro vilão e de repente, todos começam a amar algo e odiar outro, mas o que teoricamente nunca saiu do foco é que o açúcar, sódio em excesso faz mal, assim como a gordura e ponto final! Não tem o que discutir em relação a isso.

Mas recentemente surgiu uma onda de pessoas que resolveram observar de verdade os rótulos e o que estavam comendo e foi aí que alguns alimentos ou melhor, produtos industrializados caíram da lista dos queridinhos saudáveis e bacanas pra lista da maior enganação. E claro, causou uma certa revolta na indústria alimentícia que tenta a todo custo tentar mudar a fama de mau e os consumidores em sua maior parte ainda não se atentou ao real valor nutricional deles.

O que precisamos entender é que: sim, nós podemos ter crescido comendo petit suisses, bolachas de maizena, sucos de caixinha, embutidos, salsichas, nuggets e muito mais e estamos aqui super vivos. Mas o mal que comer esse tipo de comida faz, ainda vai ou pode aparecer em nosso corpo, em nossa saúde. Antigamente não tínhamos a informação sobre o que o excesso de açúcar, gordura, sódio, glutamato de sódio, nitrito, nitrato e outros ingredientes mais causavam e hoje nós sabemos. Então eu te pergunto:

Pra que oferecer isso pro seu filho? Pra que oferecer uma quantidade exagerada de açúcar?

Será mesmo que ele não pode comer frango de outra forma? Será mesmo que dá muito trabalho fazer o hamburguer em casa? Ou então ensinar que fast food não é sinônimo de felicidade?

Agora vamos ao quesito EQUILÍBRIO! Sim, eu sou adepta ao equilíbrio e não acho que tudo deve ser proibido, MAS saliento, poucos de nós sabe o que realmente é equilíbrio e sempre falo isso no blog e nas redes sociais do blog.

Vamos a exemplos clássicos:

Exemplo 1

Este é um dia mais do que normal na vida de uma criança, onde a maioria das mães não acham que é um cardápio ruim:

Neste dia, por mais que a criança tenha ingerido a saladinha, a verdura, nós temos o hambúrguer pronto que tem excesso de sódio e mais um monte de ingredientes desnecessários, o cereal matinal, suco de caixinha normal, bolacha de leite sem recheio e petit suisse que são cheios de açúcar e pra finalizar o peixe que foi servido empanado e não assado, grelhado ou ensopado!

Exemplo 2:

Neste dia, adaptei algumas coisas, tentem achar a diferença entre este exemplo e o anterior

O leite batido com frutas pode ser tão prazeroso quanto o com cereal, o hambúrguer pode ser feito em casa e é super simples (confira aqui uma receita), no lanche da tarde, bater a coalhada ou iogurte com frutas é uma opção bem bacana e no caso de querer algo tipo um petit suisse, existem receitas simples também (veja aqui algumas). Quando você realmente come com equilíbrio, comer uma pizza não é o fim do mundo e crianças podem também comer. Claro que sempre com bom senso na idade delas, não é? Criança com 1 ano NÃO PRECISA de pizza!

Exemplo 3:

Este é um típico dia onde você quer dar algo mais doce pra criança, ou pode ser um dia de festa! Se você, de verdade, ponderar no café da manhã, almoço e jantar, o lanche da tarde, que seria (neste exemplo) o horário da festa, a criança pode comer o que é servido por lá e de novo, de acordo com a idade delas. Uma criança com menos de 2 anos NÃO PRECISA comer brigadeiro, beijinho, bolo de chocolate, salgados fritos e outras coisas que são servidas por lá!

Esses exemplos normalmente se repetem ao longo da semana, só variando o sabor do suco, trocando o cereal matinal por um engrossante, o petit suisse por outro tipo de bebida láctea com açúcar e o hamburguer por outra forma de preparação errada. Por isso a história do equilíbrio normalmente é mal contada e irreal no dia a dia da criança e só percebemos depois de algum tempo, quando a balança começa a subir demais ou começa a aparecer alguns probleminhas como colesterol alto, glicemia alta e assim por diante!

A gente precisa parar de querer achar que nossos hábitos errados são o que nossos filhos teoricamente precisam! Acho que não precisamos ver nossos filhos chorando e reclamando do corpo ou aparecer sinais negativos na saúde deles pra começarmos a de fato prestar atenção no óbvio!

Eu sou a formiga em pessoa, já confessei aqui em diversos posts que sou chocólatra, que por mim troco qualquer salgado por doce e NÃO quero isso pra Clara!

Mesmo eu sabendo de todos os males que o açúcar em excesso faz, eu preciso me auto controlar demais pra isso, pois minha alimentação desde bebê foi errada e não foi errada porque minha mãe não me amava ou era relaxada, foi errada porque ela não tinha o conhecimento que temos hoje!

Na minha família, também achavam que comer nuggets e hamburguer pronto não era errado desde que fossem feitos assados e não é assim que funciona!

Antes de você achar que a mãe que está cuidando do filho dela de uma forma diferente da sua é neurótica, leia mais, mas leia fontes científicas, leia estudos de profissionais que se atualizam e não aquele que ficou plantado em seu consultório ignorando as orientações atuais da própria Sociedade em que ele faz parte, a Sociedade Brasileira de Pediatria, que por exemplo, preconiza que açúcar deve ser dado pras crianças após 2 anos.

Em relação a privação de nutrientes, tais como gluten, lactose e afins, eles devem ser retirados da alimentação se a criança ou indivíduo tem alergia ou intolerância. Caso contrário, a partir da idade certa, qualquer pessoa pode consumi-los! Não é pra viver achando que não pode comer mais nada, muito pelo contrário!

No fundo, precisamos saber o que estamos comendo e sim, ter o VERDADEIRO equilíbrio.

Beijos,

Share Button