Imagem: Shutterstock

Imagem: Shutterstock

Sabe aquele assunto que fica lá no fundinho do seu peito, que você não quer mexer pra não doer? Sabe aquela sensação de que você podia ter feito diferente e por alguns motivos não fez? Sabe aquela vontade de ter uma outra oportunidade pra daí sim fazer tudo diferente? Pois é, eu tenho algo muito mal resolvido dentro da minha maternidade, não digo mal resolvido, mas sim muito dolorido e não, não é drama é uma realidade. E ultimamente isso tem me incomodado demais, a dor do meu parto bateu no meu peito e bateu de forma cruel!

Era dia 10/07/2012, eu estava de 37 semanas e era dia da minha consulta semanal com o ginecologista! Como sempre, fui linda e sorridente pra ver minha pequena pelo ultrassom, saber seu peso e altura estimados, se estava tudo ok e se meu líquido amniótico havia “melhorado”.

Entrei no consultório, fiz a ultra, batimentos cardíacos perfeitos, PA perfeita, peso estimado, desenvolvimento do bebê excelente. Ela estava na posição pra nascer …. eu irradiante, faltava pouco pra ela nascer, algumas semanas, afinal, a gestação tem 42 semanas e eu estava de 37!

Me troquei e sentei na frente do ginecologista, aquele meu médico desde meus 21 anos. O que operou minha mãe, descobriu um mioma gigante na minha tia, o que sempre me atendeu perfeitamente bem, o que nunca tinha errado em nada e sempre estava de prontidão a nos ajudar! O que me colocou o DIU com meus 22 anos e ligou na casa dos meus pais pra saber se estava tudo bem depois de algumas horas, pois eu havia passado mal durante o procedimento. O médico que sempre indiquei pra todas as amigas, conhecido por muita gente e sim, competente!

Sentei-me na frente dele e ele falou:

– A Clara está muito pra cima e do jeito que está, não vai descer mais. Ela já está grande o suficiente pra nascer, você já está com quase 38 semanas. Se esperarmos mais, ela pode começar a sofrer. Você também teve perda do líquido aminiótico, é melhor agendarmos a cesárea!

– Mas doutor, e o parto normal?

– Do jeito que ela está pra cima, só dá pra ser normal sendo fórceps. Terei que puxá-la pra ela sair e é sofrido pra ela, você quer isso?

– Não! Não quero que ela sofra nada!

Ele pegou o telefone, ligou na maternidade que eu escolhi e marcoua cesárea para o dia 17/07 às 22:30h.

Saí da consulta com a guia da cesárea nas mãos e fui pra casa, com a ansiedade da espera do grande dia, o dia de ver minha filha!

Trabalhei até o dia 16/07 pra ganhar o máximo de dias na licença maternidade e no dia 17/07 acordei, me arrumei, fui almoçar na minha mãe e dormi a tarde inteira, pois precisava ficar de jejum e pro tempo passar mais rápido!

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

~PAUSA 01~

Só hoje eu sei que isso não é motivo pra uma cesárea! Minha queixa é nem ter entrado em trabalho de parto pra daí sim, ser a hora em que a Clara estava pronta! Não é uma questão de cesárea X normal e sim uma questão sobre mentira/omissão X verdade!

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Cheguei na maternidade, dei entrada nos papéis, fui pro centro cirurgico, fui anestesiada e tudo começou …. quando começou, Clara não saia, e ele falava: Clarinha, vem! Chegou sua hora!

E nada dela nascer!

Eu olhava pro lado, via meus familiares assistindo o parto e as fisionomias do tipo: cadê a Clara que não sai da barriga?

Marido tentando filmar o parto, parou de filmar porque ela não saia!

E eu lá, deitada na mesa só sentindo eles mexerem na minha barriga, o meu médico quase subindo em cima de mim pra ela nascer, até que ela nasceu, até que ouvi seu chorinho pela primeira vez e me trouxeram ela pra eu olhar e já a levaram pra fazer todos os procedimentos.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

~PAUSA 02~

Por incrível que pareça, é agora que começa a minha dor!

Fui enganada no meu parto? Ok! Fui! Mas correu tudo bem, minha recuperação foi excelente, mas quando mexem com minha Cria, o buraco é mais embaixo, a dor é avassaladora e é nessa parte que dói e dói demais!

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Ela não queria nascer, não era hora dela e mesmo assim ela tinha que nascer! Mesmo assim falaram pra mim que tinha que ser aquele dia, aquele horário, mas Clara não queria e mostrou isso enquanto eu estava cortada!

Depois que a tiraram bruscamente de dentro de mim, sem ela querer, não a trouxeram até meus braços, foram logo fazer os procedimentos protocolados e mesmo com nota 10 e 9 ela não veio!

Não me deixaram pegá-la no colo logo após seu nascimento, não me deixaram amamentá-la na sala de parto, não deixaram nossa pele se tocar, não me deixaram vê-la por mais de 5 minutos e já a levaram de mim!

Fui pra sala de recuperação e lá fiquei por 3 horas, sem atenção alguma, sem notícias da minha filha. Rezava pra sentir minhas pernas o mais rápido possível e ser liberada pra subir pro quarto, até que finalmente isso aconteceu!

Subi, meus pais estavam lá me esperando, o Marido e nada da Clara. Eu estava grogue, mas queria minha filha e ninguém a trazia pra mim!

Me proibiram de falar, pois me daria gases, falaram que eu tinha que descansar e por mais que eu pedisse, implorasse, eles não me trouxeram minha filha!

Eu pedia por ela, me falavam que me trariam mais tarde e eu ressaltava que ela tinha que mamar o colostro, que não era pra dar nada pra ela mamar, que ela devia estar com fome! eu não conseguia descansar, não conseguia dormir, só pensava na minha filha e porque ela nao estava comigo!

Primeira foto, primeiro momento, primeiro colo, primeiro contato, primeira mamada <3

Primeira foto, primeiro momento, primeiro colo, primeiro contato, primeira mamada <3

Ela veio pro quarto, pros meus braços às 6:30 da manhã, quase 9 horas depois de nascida e isso eu não esqueço, eu não supero e não adianta me falarem que ela está bem, é uma menina forte qualquer outra coisa, porque é uma dor minha!

Eu que tanto conversei com ela a gravidez inteira, contei histórias e mais histórias, escutei músicas, tentei deixá-la o mais relaxadinha possível não pude tê-la comigo em seus primeiros minutos de vida e isso me corroe!

Até ontem, eu nao tinha assistido ao filme Renascimento do Parto, não por falta de interesse, mas acho que por medo da ferida vir à tona como veio!

Sonho em engravidar outra vez, pra isso quero me preparar melhor do que fiz na gravidez da Clara e a primeira coisa que estou fazendo é ler sobre parto normal, humanizado, mitos, realidade!

Meu sonho de ter o meu tão sonhado parto normal, de sentir a real ocitocina está cada vez mais latente dentro de mim e a Aninha do LookBebê é uma das pessoas que mais me dá forças, mesmo sem saber, pois ela teve um parto normal, sem anestesia depois de uma cesárea e agora grávida de sua terceira filha vai tentar o humanizado (leia AQUI o relato do parto da Clarinha)! Sempre que alguém me fala, mas depois de cesárea não pode ser parto normal eu lembro do parto dela!

Outra amigona, é a Tati, grávida de gêmeos, toda empoderada, com Doula, pediatra humanizado, médica humanizada e prestes a tentar seu parto humanizado e se Deus quiser, terá!

Não tenho nada contra a cesárea, tenho tudo contra a enganação, aos médicos que omitem coisas pra nos levar a marcar uma cesárea antes da hora, desnecessária!

Meu conselho pra você mulher, futura mãe, grávida é que leia, se informe, pesquise sobre os partos e vá consciente viver este momento único na sua vida! Não deixe que ninguém escolha por você, escolha conscientemente o SEU PARTO!

Aqui, no site oficial, você pode ver tudo sobre O Renascimento do Parto, acho super válido todo mundo assistir e entender sobre o assunto, pra não se deixarem ser enganadas! Olha aqui o trailer oficial:

Desejo do fundo do meu coração, que todas as mulheres sejam respeitadas em suas escolhas, que  em seus corpos não sejam feitos procedimentos desnecessários. Que depois que a Cria venha ao mundo, ela seja respeitada em seus primeiros  minutos de vida! Que protocolos já refeitos sejam seguidos e que os profissionais se atualizem e de uma vez por todas entendam que o contato com a mãe, pele a pele, amor é muito melhor do que qualquer procedimento!

Beijos no coração de todas vocês!

Share Button

Comentários

  1. Querida, sinta-se abraçada e acolhida! A sua dor já foi tb a minha dor e acredito que de muitas mulheres que ainda são enganadas… Antes da minha filha mais velha nascer eu tive uma gestação tubária e, como em sã consciência eu, assim como vc, iria trocar de obstetra? Aquela obstetra que fez nascer a minha irmã e que me acolheu quando mais precisei me tirando de uma emergência com uma tubária prestes a romper e acompanhando todo o meu sofrimento… Mas hoje entendo que se houve culpa essa não foi minha, foi duro ter passado por uma depressão pós parto, não ter tido contato com a minha filha e terem a levado de mim sem nem ao menos o primeiro contato mas mãe é guerreira e faz das tripas coração, ergue a cabeça e dá a volta por cima… Fui lá, engravidei novamente e tive um parto digno e da maneira que eu e minha filha quisemos, no NOSSO momento e do jeito que sentimos que seria melhor, por isso sei de toda a sua dor e compartilho contigo minha história! Bjs no seu coração de mãe e que eu consiga te consolar na medida exatada, medida essa que te dê forças para continuar e seguir seus extintos! Bjs.

  2. Graças à Deus não tive depressão e fui só "entender" tudo o que aconteceu muito depois, sabe? Mas meu leite demorou pra descer, tive problemas com a amamentação e acho que minha luta pra que ela acontecesse fez com que eu não pensasse no parto!
    Agora, pensando seriamente em engravidar do segundinho, eu comecei a ver onde pudia ter sido mais "esperta"!
    Muito amor pra você e toda família e obrigada pelas palavras! <3

  3. Olha Paolla, sei que dor é dor, mas vou te contar a minha historia, quem sabe ameniza a sua dor…. Sou cadeirante, meu primeiro desafio foi encontrar um médico que cuidasse da minha gravidez,(pq acredite tem uns que eu entro no consultório e nem olham p minha cara, acham que por ser cadeirante não preciso desse tipo de cuidado) e encontrei um anjo, cuidou da gente como ninguém e desde o inicio combinamos que ia ser cesarea para não haver risco para o bebê, até aqui tudo lindo. Com 37 semanas vai eu para a entrevista com o anestesista, ele simplesmente entrou na sala pegou os papeis que eu tinha em mãos, perguntou se eu já havia feito alguma cirurgia e as anestesias que havia tomado, e eu disse que das anestesias eu não sabia, a única que tinha certeza de ter tomado foi a GERAL e ele simplesmente disse que ia me dar a geral pq era uma anestesia que eu ja havia tomado e ponto, perguntei e o meu filho eu quero ver ele nascer, ele disse que iria me acordar nesse momento, mas eu sabia que era mentira, pois minha barriga estaria aberta, sei que neste momento meu mundo caiu, me senti a beira de um abismo, chorava cada vez que pensava que não iria ver meu filho nascer, qdo cheguei para a ultima consulta com o obstetra, contei chorando o que o anestesia havia dito, e ele se prontificou a conversar com ele. Meu filho adiantou um dia do dia marcado, ele nasceu as 11h45 sem que eu nem o pai visse a sua chegada, isso já dói né, pois bem acordei na sala de recuperação e nada do meu filho, fui para o quarto e nada, e era só o daqui a pouco trazem ele que eu escutava, pois bem as 20h num desespero total eu pedi para a enfermeira trazer, que eu queria vê-lo, que eu não tinha visto, que não queria mais nada além de ver meu pequeno, ai foi que me trouxeram ele, isso dói e vai doer para sempre. Até quero ter outro mas penso e se a história se repetir.

  4. Nossa minha historia foi bem parecida com a sua… no meu caso são gêmeos a GO disse que o primeiro iria nasce tranquilo, ja o segundo correria risco de vida, hj conheço varias mães de gemes q tiveram parto normal.
    hj sofro com o peso de nao ter e informado na época

  5. Paola, li e chorei com seu relato, minha vontade era de abraçar vc !!!! Tive um parto normal do primeiro filho e minha princesa Luiza chegou atraves de uma cesaréa, realmente foi necessário, e foi de minha escolha, porem eu ganhei ela com 39 semanas e já estava em trabalho de parto, fiquei com ela após o parto, amamentei na sala de cirurgia ( tentei pois não tinha leite ainda ) enfim mas chorei com seu relato pois até hj ( 2 anos e 3 meses que ela nasceu ) eu carrego dentro de mim um pouco de culpa, remorço sei lá como posso chamar a sensação de que poderia ter sido diferente. Vc é uma pessoa maravilhosa e dá todo amor do mundo para a Clara é visivel …. procure uma terapeuta ou psicologa pois eu sinto a necessidade de fazer isso, a necessidade de superar essa sensação, pois esquecer tenho certeza de que nunca !

  6. Tô aqui em lágrimas, meu parto sim precisou ser uma cesárea, pois essa seria a única forma de salvar a vida do meu filho, mas assim como você sinto essa dor, a dor de não poder ter em meus braços o meu filho amado no seu primeiro minuto de vida. Meu parto foi um pouco complicado, meu guri também não queria nascer. A imagem que tenho foi a refletida no refletor, a médica subindo em cima de mim até ai tudo bem, qualquer coisa para salvar a vida dele, tive muito medo e a única coisa que queria era ouvir seu choro, porque daí sim teria a certeza, que ele estava ali e VIVO. Às 22:00 do 30/09/11 nasceu meu filho amado, foi uma correria e o levaram para fazer os procedimentos necessários, mas eu ainda não sabia, se ele estava vivo, pensa na minha dor, já havia perdido três bebês de aborto espontâneo. Passaram-se alguns segundos, minutos e o Gustavo começa a chorar, para a nossa alegria, esse era o sinal que precisávamos, foi o som mais lindo que já ouvi, me trouxeram ele com narizinho correndo sangue e o levaram bruscamente de mim, porque ele estava com problema respiratório, não me deixaram tocar, beijar. Fui para sala de recuperação, ali sozinha, sem saber como ele estava e onde estava, comecei a gritar cadê meu filho, me fala a verdade. Perguntava, chorava e clamava por notícias dele, sem nenhuma resposta, passaram-se muitas horas diria uma eternidade, sem saber dele. Foi quando uma enfermeira de alma caridosa da sala ao lado, vendo meu sofrimento, foi em busca de notícias e veio até mim e falou: mamãe fica calma, está tudo bem com seu filho, seu marido está com ele. Foram as palavras mais desejadas por mim, nas 36 semanas de uma gestação de altíssimo risco, meu FILHO estava bem.

  7. Paola eu imagino sua dor e fui agraciada por um momento glorioso que foi o parto de meu filho. Normal, sem nenhuma anestesia e a introdução da ocitocina só foi necessária nos últimos momentos mais para ajudar na saída da placenta. Ele veio de 36 semanas e bem. Minha bolsa estourou, No primeiro momento que a enfermeira do cegonha carioca que veio a minha residência fez o primeiro toque eu não tinha dilatação e ele ta atravessado isso as 07:00hs da manhã, Como perdia muito líquido ele me colocou na ambulância e me levou para hospital público (SUS), pelo meio do caminho senti as contrações mais forte e ja cheguei lá com 3 cm de dilatação… me internaram fiquei sentido as contrações respirando e não me desesperando, com a companhia de meu esposo. Até que as 13hs senti vontade de fazer força e 30 Mim depois ele nasceu. Foi bênção !!! Veio para mim logo em seguida. Amamentar no primeiro momento foi complicado pq ele tava muito dormioco, a glicose chegou a 30, tomou complemento mais deu tudo certo. Hoje ta com 1ano e 5 m lindo de bonito.

  8. Também sonho com o parto normal depois de uma césarea, que no nosso caso foi extremamente necessário (pré eclâmpsia, 28 semanas minha Maya teve de nascer). Moro no Japão e os médicos aqui ficam pasmos com tantas césareas realizadas no Brasil. Que o respeito prevaleça!

  9. Muito triste ficar tantas horas longe do bebê. O meu foi cesariana de 40 semanas por opção minha, mas saí da sala de cirurgia com ela mamando no meu peito. Ela nasceu e a colocaram no meu colo imediatamente. Depois a pegaram por alguns minutos na própria sala de cirurgia e me devolveram ali mesmo. Não tive do que reclamar.

  10. Querida, talvez vc não tenhá sido enganada, mas era muito cedo para o médico saber. O seu parto parece a descrição do parto da minha irmã, a bb não saia tb. Mas ela já estava com 41 semanas. Não aguentava mais esperar. Agora, realmente esse procedimento de aguardar 9h para ter sua filha com vc foi desumano. Fiz cesária e me entregaram meu filho umas 2h depois do parto. Fique com Deus

  11. Paola, lembro da gente conversando depois deles nascerem, todas super "bem resolvidas" pqe a cesárea foi o melhor e blá blá blá… É tão difícil perceber que fomos enganadas, que não fomos devidamente informadas de tudo! E o pior, saber que podia ter sido diferente :'(
    Aí eu te pergunto.. Cadê o protagonismo da mulher, no caso você, nessa história? Cadê a parte em que você pode decidir, em que o médico te da as opções, conversa com você e pede sua opinião? Cadê o momento em que seus desejos são atendidos? Isso é um parto humanizado.
    Não é parto na banheira, em casa, a luz de velas ou "na oca"… é o parto em que VOCÊ é a protagonista e não o médico. É por esse tipo de parto que lutamos para que todas as mulheres tenham direito e se Deus quiser, um dia terão!!! <3 <3
    ps. Se você esperar mais uns 4 anos pra engravidar, quero ver esse bebê nascer *-* hahaha

  12. Nossa, Paola! Tocante! Depois que assisti esse filme, chorei… Ainda tenho dificuldades em dividir o meu parto porque eu não cogitei muito o parto normal… Tenho medo da dor e meu médico "aconselhou" que já que eu não estava me preparando desde o início da gravidez, não iria aguentar um parto normal, além de a maior parte das minhas amigas ter tido excelentes experiências de recuperação com cesárea no melhor estilo: não seja boba, vai sofrer por quê? Agenda logo o negócio e fica tranquila. Minha recuperação foi muito complicada, pos tive aquelas dores de cabeça horríveis no pós-cirúrgico e depois tive coágulo na cirurgia e meu leite não descia, foi meio que desesperador (porque tudo acontece junto e você é mãe de primeira viagem). Também fiquei duas horas sem saber da minha filha, minhas pernas sem movimento, com frio e assustada. Depois de duas horas, fomos para o quarto e já levei "meu pacotinho" comigo e não posso reclamar, pois as enfermeiras eram ótimas. Aurora nasceu quando quis, pois a cesárea estava agendada, mas ela rompeu a bolsa um dia antes, cheguei a ter as contrações, mas elas me deixaram tão desesperada que só queria que parasse… Nem assim cogitei o parto normal. Se soubesse tudo pelo qual iria passar… Mas são experiências, né? Pretendo ter meu próximo filho de parto normal, se bobear em casa, hahaha… Já estou criando coragem…