Quem me acompanha sabe o quanto eu sou à favor da amamentação e alimentação saudável. Algumas pessoas me chama de “xiita”, outras que sou doida/louca e ainda exagerada. Sim, pessoas de dentro e fora da minha família falam isso e eu não me importo, pois sei o que quero pra mim e pra minha filha.

Durante algum tempo, tentei ficar mais quieta do que falar sobre alguns pontos por querer fazer o papel “amiga de toda vizinhança”, mas ontem eu não me aguentei e quase explodi.

Eu não aponto o dedo pra nenhuma mãe se ela está errada ou certa, pois eu não sou soberana e nem a rainha da razão. Aceito, RESPEITO todas as minhas amigas/mães e suas escolhas pra seus filhos, afinal, cada uma de nós sabe onde o calo aperta, né?

Eu também não sou aquela de ficar pregando, falando e tentando fazer lavagem cerebral nas pessoas. Simplesmente respondo as perguntas feitas pra mim com minha opinião e muitas vezes ela é contrário ao que faz a pessoa que me pergunta e é nesta hora que sou classificada como neurótica, chata entre outros adjetivos fofos rs.

Já teve momentos de amigas darem guloseimas e outras coisas pra seus filhos e olharem pra mim com carinha de “aí, é só hoje” e eu dar risada e falar: Relaxa! Fica à vontade pra fazer o que você acha legal e bacana.

Mas vocês sabem o que me incomoda e MUITO?
Não são as mães amigas que muitas vezes não sabem tudo o que deveriam saber sobre aquele “inocente” brigadeiro ou “prática” papinha. Quem me incomoda são os profissionais da área de saúde e suas orientações, somadas a alguns patrocínios de empresas.

Ontem, tive o desprazer de ouvir uma Pediatra falar que amamentação acima de 1 ano não é necessária e que é só carinho.
É uma forma da mãe não se desvincular de seu filho.

Oi?

Neste mesmo evento, uma amiga e blogueira, a Bárbara do Uma mãe das Arábias, teve a coragem de pegar o microfone, contar seu relato sobre a amamentação de seu primeiro filho e como está sendo a de sua segunda filha e emendou com a pergunta de até quando ela recomenda a amamentação.

A pediatra em questão falou que a amamentação deve ser exclusiva até os 6 meses, mas que depois de 1 ano é desnecessário, pois o leite não tem mais os nutrientes necessários pras crianças. Complementou que o governo brasileiro incentiva o aleitamento materno porque eles não distribuem leite pras famílias.

E em momentos antes, falou que apenas no Brasil, é incentivado e apoiado o Aleitamento Materno exclusivo até os 6 meses, que na Europa eles começam a introduzir alimentos com 4 – 5 meses e ainda parabenizou uma convidada do evento que ela tinha feito o certo em introduzir a alimentação de seu bebê antes dos 6 meses.

Na boa, se é pra copiar os gringos, então que copiemos as coisas boas e não as que há anos estamos lutando pra conscientizar a população brasileira.

Na hora do “debate”, ou melhor, pergunta e resposta a Bárbara perguntou porque ela não incentiva o aleitamento após 1 ano, sendo que a OMS indica.
E a Dra. mais uma vez relutou e disse que não, que a OMS não indica isso.
Foi nessa hora, apenas nesta hora que eu falei que além da OMS a SBP também indica aleitamento materno até 2 anos ou mais, mas falei pra quem estava ao meu lado ouvir, não me levantei pra falar ao lado da Bárbara o que eu sabia, o que eu defendo e isso me fez mau.
Saí de lá com a sensação de algo me corroendo por dentro.

Aqui está o Manual inteiro, à disposição pra quem quiser ler.

Esta é uma das partes onde está escrito no Manual de 2012 sobre a amamentação prolongada, inclusive, ela faz parte dos 10 passos pra uma alimentação saudável.

Ontem fiquei revoltada e triste por alguns motivos: o assunto era ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL e foi patrocinado pela Nestle, tinha papinhas espalhadas por todo saguão, inclusive, papinhas, mucilon e mucilon pronto pra beber foi dado de brinde.
Vamos lá: papinha industrializada de qualquer marca não é saudável.
Qualquer alimento pronto que fica na gôndola sem refrigeração tem aditivo ou conservante, senão estragaria e isto é um ponto.
Essas papinhas são ricas em um monte de coisas desnecessárias e que SIM fazem mau pras crianças e bebês.

Querem praticidade? Comprem papinhas caseiras, ou melhor, tirem um dia da semana pra cozinhar, congele e descongele no dia pra oferecer pras crianças.
Dá trabalho? Sim, dá e eu sei disso!
Eu sou mãe, trabalho fora, tenho a casa pra cuida e sei o tempo que cozinhar toma da gente, mas faz parte, né?

Mucilon em pó e mucilon pronto pra beber são ricos em açúcar e hoje, obesidade é um problema sério na infância.
Então, como pode um evento falar sobre alimentação saudável e dar este tipo de brinde?
Como pode uma pediatra ser convidade pra falar sobre alimentação saudável e me falar que amamentação após 1 ano é apenas carinho?

Outro ponto que me deixou chateada é que eles sempre chamam pediatras pra falar sobre alimentação e esquecem dos profissionais que estudam pra cuidar, tratar, ensinar sobre alimentação, os Nutricionistas.

Enfim, estamos longe de eventos perfeitos, mundo perfeito, onde não são só as grandes empresas que  mandam.
Onde saúde, cuidado com o próximo seja superior a algum tipo de patrocínio.

Eu passei por 5 pediatras e nenhum deles me incentivaram a amamentar, em continuar com a amamentação depois que eu voltasse ao trabalho. Ganhei latas de leite dos pediatras, mas o mais absurdo na minha opinião, foi a orientação de alta da maternidade dada pela pediatra de plantão:

– Se em 2 trocas seguidas a fralda estiver seca, a bebê está desidratada, ou seja, seu leite não está dando conta, aí você dá mamadeira com NAN.

Sim gente, essa foi minha orientação de alta de uma maternidade conceituada de São Paulo.

Ah! Antes de terminar quero deixar claro que não estou falando mau de nenhum blogueira, amiga/mãe blogueira e que meu descontentamento é único exclusivo com pediatras e profissionais que falam sem estudar, pensar ou qualquer outra palavra que justifique falar algo errado.
Não estou “crucificando” quem não amamenta por qualquer motivo e sim a falta de motivção dada pelos profissionais e formadores de opinião.
E não, não estou em cima do muro.

Aqui em casa a amamentação é prolongada, quando estamos juntas é em livre demanda e até hoje Clara nunca tomou outro leite ou fórumla, pois não precisou.
Ela não troca peito por refeição e sim, nós duas amamos nossos momentos.
Ah! Ela ainda acorda de madrugada pra mamar.

Beijos

Olha aqui os posts que fiz sobre amamentação:

Tive problemas com amamentação logo no começo e neste post conto como superei e segui em frente: http://www.maternidadecolorida.com.br/?p=268

Voltei ao trabalho e conto neste post como continuei firme e forte com o aleitamento:
http://www.maternidadecolorida.com.br/?p=245

Quando chegamos perto de 1 ano, senti meu leite diminuir, me desesperei e neste post conto como fiz: http://www.maternidadecolorida.com.br/?p=180

Na consulta do pediatra de 1 ano ele veio com o assunto desmame e falei sobre isso aqui:
http://www.maternidadecolorida.com.br/?p=155

Share Button

Comentários

  1. Amei seu post, como todos os outros. Desde que engravidei sigo seu blog e tento ao máximo seguir muita coisa que acho mais que bacana que vc faz com sua baby. Meu filhote está com 4 meses e infelizmente a parte do LM não funcionou comigo. Chorei, tentei de várias formas mas ele não quis mamar no seio e isso doeu muito. Como eu queria amamentar meu filho até 2 anos. Você está de parabéns! Um exemplo de mãe pra mim. Quando crescer quero ser igual a vc! (rsrsrsrs) Bjão e continue sendo essa guerreira!
    =)

    http://amoramaternidade.blogspot.com.br/

  2. Te admiro cada vez mais! Você tem coerência naquilo que defende e humildade de reconhecer um “erro”! Veio aqui e consertou! Pior quem erra e jamais assume que errou!! Ainda acredito na blogosfera materna quando leio textos assim!

  3. Pa,
    eu me senti assim no evento da kibon, ouvindo da “menina do mkt” que sorvete é alimento para o lanchinho a qualquer hora, que deveria se tornar a sobremesa oficial da familia brasileira e outros absurdos… tanto é que fui embora sem brunch nem nada, fiquei passada, transtornada com tanta loucura numa fala só!
    Adoro sua posição de respeito e consciência.
    beijos
    Lele

  4. Parabéns pelo post! Disse tudo. Absurdo como a maioria dos pediatras realmnet não incentivam. A pediatra da maternidade tb me mandou comprar fórmula logo q saisse do hospital, pode? Amamentei até 1 ano e 11 meses (qdo descobri q estava grávida do 2˚ baby) e isso nunca atrapalhou a nutrição da minha filha.
    E parabéns pelas fotos! essa última tá uma loucura de linda!

  5. Boa noite, flor. Confesso que, quando achei sua pagina hoje, fiquei surpresa pois nao tinha conhecimento dela. Estou com um pequeno de 6 meses, tb sou nutricionista e, por trabalhar em outra cidade, tive q introduzir papinha pro pequeno antes dos seis meses, totalmente contra minha vontade, mas fui obrigada a ir trabalhar.. se eu soubesse q um mes dps eles me deixariam de aviso, eu tinha era largado o emprego… enfim! Agora ja sei como proceder com meu segundo filho!
    Infelizmente so aprendi na marra… no primeiro mes de papinha, Miguel ja ficou com bronquiolite por 1 mes e, aora q curou da bronquiolite, ta com diarreia rotavirus ha 6 dias… creio q se tivesse exclusivo, nada disso teria acontecido…
    Nao falo nada sobre a opiniao da pediatra, pq nao tive experiência com o Miguelzinho ainda, mas alem de ser mt mais pratico, aleitamento materno tem muuuitas vantagens…
    Estou ainda perdida com as papinhas q meu filho tem q comer, nao sei em qual momento introduzir alguns alimentos… vc poderia me ajudar? Meu email é overgirl_rj@hotmail.com

    Bjos e adorei sua pagina!

  6. Arf escrevi um texto e agora tenho q escrever denovo pq apagou quando fiz o login.. rs

    Meu nome é kelly, tb sou mae do Miguelzinho de 6 meses e sou Nutricionista tb…
    Confesso q fiquei bastante empolgada quando meu marido achou sua pagina…
    Minha experiência sobre aleitamento materno foi o seguinte: aos 5 meses introduzi papinhas para meu pequeno, pq voltaria a trabalhar e nao teria como amamentar, visto q eu trabalho em outra cidade… quando introduzi papinha, as doenças começaram a aparecer… peimeiro um mes de crise de bronquiolite e agora uma diarreia que a pediatra falou q é rotavirus.. confesso que fiquei desapontada ate com a empresa q, se eu soubesse q eria mandada embora e teria q cumprir aviso, nao tinha parado de dar mama pro Miguelzinho tao cedo. O problema é que eu não posso deixar de trabalhar, entao nao tive outra opção a nnaoser coloca-lo na creche… e sinceramente nao farei isso com meu segundo filho… to sem durmir desde sabado passado com Miguelzinho passando mal e tomando soro na veia pra hidratar…. enfim!

    Msm sendo nutricionista estou completamente perdida em qual papinha dar pra ele, quando introduzir determinados alimentos… me ajuda?

    Meu email é overgirl_rj@hotmail.com

    Bjos flor e obrigada!

  7. Olá Paola, descobri o seu blog há pouco tempo e estou amando!
    Tenho um menino de quase 8 meses e moro na França e não concordo com o que essa pediatra disse… Aqui pelo menos, a amamentação é incentivada sim! Eu infelizmente não tive a chance de amamentar, meu menino nasceu prematuro com 31 semanas e por mais que tenha feito muitas tentativas ele não pegou o peito mas mesmo assim tirava o leite e dava na mamadeira… Mas depois meu leite acabou sendo insuficiente e tive de complementar com fórmula. Só comecei a introduzir outros alimentos, após os 6 meses com aval da pediatra.
    Beijos