como escolher o berçário

Antes mesmo de engravidar eu já sabia que A Clara teria que ir pro Berçário quando acabasse minha licença maternidade (certo ou errado isso será assunto pra outro post), por isso tentei me organizar  ao máximo pra juntar férias com a licença maternidade. Em 3 anos, nunca havia tirado férias e aguentei inchada o máximo que consegui pra aproveitar muito minha filha, assim consegui ficar com ela até quase 6 meses. Mas como escolher o berçário pro bebê?

Durante a gravidez, observei alguns berçários, analisei a localização e liguei pra pesquisar valores e nada cair como uma bomba no meu colo depois de nascida a bebê.

Comecei as visitas nas escolas selecionadas quando Clara estava com 3 meses e em uma que nunca tinha pensado em colocá-la e muitas foram minhas surpresas e decepções.

Berçário tem um valor bem significativo, pelo menos no orçamento aqui de casa. Não achei berçário por menos de R$ 1.000,00 meio período, então, já imagina período integral, não é? Além do preço alto, olhei cada detalhe das escolas e eu sou MUITO detalhista … enxergo coisas onde ninguém percebe, minha família sempre fala isso. Sou daquelas que acha tarraxa de brinco caída no carpete hahaha.

Não vou citar nomes porque às vezes o que é bom pra mim não é pro outro e a intenção não é “queimar” estabelecimento algum e sim fazer uma lista do que acho importante um berçário ter!

Pra mim e o Marido, a “escolinha” ideal (não necessariamente nesta ordem) tem que:

1 – Ser perto de casa, do trabalho ou de alguém que pode te ajudar em emergências:

Facilita bastante quando acontece algum imprevisto. Eu tenho a sorte de trabalhar perto de casa e da escola, mas também escolhi por ser perto da casa da minha mãe que é quem a busca a Cria todos os dias, pra eu evitar que Clara fique 12 horas na escola. Atualmente, ela fica 9 horas.

2 –  Ser higiênica e super limpa:

Vocês podem pensar: Claro que tem que ser limpa e eu concordo, mas encontrei escola que o fraldário cheirava ruim, muito ruim. Eu sei que fraldário é lugar aonde trocam-se as fraldas, mas ele tem que ser limpo constantemente e não acumular fralda suja.

Assim como o berçário não ser desorganizado só porque criança “bagunça” os brinquedos.

3  – Ter funcionários capacitados:

Outro ponto óbvio, mas nem sempre o óbvio é o que acontece, por isso vale a pena perguntar!

Não é porque sua Cria ainda é bebê que deve ficar com pessoas que não tenham capacitação pra cuidar de crianças nesta faixa etária. Normalmente quem fica com os bebês são as berçaristas, existe curso pra isso e é uma profissão.

Elas aprendem tudo sobre cuidados dos bebês e outras coisas mais.

4 – Seu filho ser bem tratado:

Isso é mais que óbvio, né? Pois bem, fui em um berçário em que as berçaristas não olhavam nos olhos e rostos dos bebês, estavam conversando mais que o homem da cobra ignorando totalmente os bebês, enquanto uma das funcionárias chacoalhava o bebê conforto de uma forma quase que “brutal” pro bebê de 7 meses dormir. Se não bastasse isso, em plena quinta feira passada, com quase 34 graus, em um berço tinha um bebê dormindo no bebê conforto dentro do berço.

Peraí! Você vai pagar mais de R$ 1.000,00 e vai ter seu filho dormindo esmagado pq as berçaristas tem medo de tirá-lo da cadeirinha e ele acordar? Na hora pensei na Clara, que dorme super pouco e se mexer nela ela acorda na hora!

5 – Se a alimentação estiver inclusa, ser de acordo com a idade do bebê e os alimentos sempre em perfeito estado:

Parece piada, mas encontrei fruteira com fruta podre e bem madura, sabe quando já passou do ponto?

É interessante verificar como é a cozinha, o lactário da escola, afinal, você TEM todo o direito de mandar o seu leite materno congelado pro seu bebê e até mesmo a fórmula, mas prepará-los, independente de qual seja, é necessário que seja feito com muita higiene e cuidado.

6 – Ter infraestrutura adequada:

É interessante verificar se tem lugar pro banho de sol diário, se a escola é plana e não tem muitas escadas, se é segura, se os espaços são divididos por idade.

Pense assim, seu filho irá ficar lá o número de horas necessário, no meu caso foi em tempo integral, ou seja, é lá que ela vai brincar, começar a explorar novos cantinhos, é preciso tomar banho de sol diário pra síntese da vitamina D.

Que adianta ser uma escola excelente se for pro seu bebê ficar só dentro da sala?

Na escola que escolhi, tem piscina de bolinha, pula pula que as berçaristas iam com os bebês, espaço pra sol, espaço pros bebês explorarem de acordo com seu desenvolvimento e conforme irem crescendo explorar novos horizontes.

Visitei uma escola que pra ir no berçário tem que subir uma escada que na minha concepção achei perigosa e já imaginei a berçarista subindo com a Clara mais a bolsa.

7 –  Saber como eles preenchem o tempo do bebê e fazem a rotina:

escolha do berçário

Clara sempre se divertindo na escolinha 🙂

Como é a forma lúdica de estimulá-los, hora da refeição, hora do sono, como é enfim a rotina do dia deles no berçário.

Fui visitar uma escola que a maior parte do tempo é em frente a TV e pasmem, os bebês PEQUENOS estavam sentados naqueles cadeirões altos, em frente a tv pra comer. Oi? Pois é!

Por mais pequenos que eles sejam, existem algumas “aulas” que faz sim diferença e pode agregar muito. Aulas de música, aulas de artes eu acho super bacanas. A Clara sempre amou música e acredito que além de eu estimular em casa, ela foi incentivada pelas aulas de música que tem desde 6 meses. Lá eles também tem aula de artes, com massinha caseira, tinta caseira. Na aula de artes, eles tem contato com outras texturas, consistências, exploram o sentido do tato.

A minha escolha (A unidade do berçário onde Clara ficou dos 6 meses à 1 ano e 6 meses fechou no fim do ano passado):

:)

🙂

Acabei colocando a Clara no Berçário que jamais imaginava que colocaria quando passava em frente. A arquitetura do local era plana, sem escadas, tinha espaço que batia sol, a unidade do berçário tinha crianças até 3 anos, ou seja, é uma escola pequena, Clara teve um berço só dela, nenhuma outra criança o usava, assim como sua banheira banheira e os itens de refeição.

Semanalmente eu levava a roupa de cama e banho e toda sexta feira vinha pra casa pra eu lavar. O bom dela ter tido o berço dela, é que pude colocar o kit berço que eu quis, roupa de cama e isso pode ter ajudado ela não estranhar tanto. Os itens pessoais ficavam guardados em organizadores plásticos individuais e separados por departamentos: alimentação, higiene e brinquedos. Lá tudo era filmado por circuito interno e as imagens ficavam gravadas, eu não conseguia ver pela internet e no final das contas até gostei, senão não ia ter sossego, mas se acontecesse alguma coisa eu tinha acesso as gravações!

Eles sempre seguiram a rotina que eu determinei, claro que com ajustes de acordo com a rotina do berçário, afinal, ela não era a única bebê e em relação a introdução dos alimentos foi conforme minha determinação. Lá o cardápio de cada bebê era conforme os alimentos liberados pelo pediatra ou nutricionista.

Sem eu falar como gostaria que fosse dado o leite materno, eles mesmo já me disseram que descongelam e esquentam em banho maria, tem um freezer só pro leite no lactário e lá só manipulam as mamadeiras e as frutas.

Nesta escola não tinha televisão, eram 2 bebês por berçaristas e no máximo 8 bebês no berçário! Fui 2X sem marcar horário e em todas as vezes, a escola estava super limpa, cheirosa e organizada. Os bebês brincando no espaço deles, as berçaristas de branco, com touca e proteção nos sapatos, assim não suja o tapete de EVA.

Visitei 5 escolas e em nenhuma eu marquei horário. Teve uma que não me deixaram entrar porque não havia marcado horário e desisti de lá. Pelo que conversei com outras mães, é normal marcar horário, mas eu particularmente não concordo com isso, pois pra mim quem não deve não teme e se a desculpa foi acordar os bebês, eu não sou louca que berro ou falo alto neste tipo de ambiente!

É, Maria Clara teoricamente sempre teve data marcada pra começar sua “vida estudantil” e o coração da mãe aqui fica ficou apertadinho na época (escrevi este post sobre isso). O que me consola e tranquiliza é que escolhi o berçário que mais gostei!

E com vocês? Como foi a escolha do berçário ou escolha dos Pequenos? Não escolheu? Corre que às vezes mesmo particular não tem vaga, no meu caso, peguei a última vaga!

Beijos

Share Button

Comentários

  1. Ai, meu coração apertou com o seu, só de imaginar deixar Liam em berçário ja da ate vontade de chorar, somos mais dependentes deles do que eles de nós necessariamente, boa sorte pra vc, vai dar tudo certo!!

  2. Paola, esse momento é mesmo intenso… você vai fazer a adaptação?
    Te desejo toda sorte do mundo nessa nova fase, e achei esse post bem útil pra ajudar outras mães!
    um beijo
    Carol Baggio

  3. Eu recebi uma boa proposta de trabalho qdo Cuque tinha 8 meses e até pensamos em voltar atrás na decisão de eu ficar em casa. Olhei alguns berçários e até escolhi, mas acabei não tendo coragem.
    Mas nesta minha procura, tive certeza de uma coisa: na lista de critérios, acho muito importante uma escola com sistema interno de cameras por TODA a escola liberado para os pais. Isso me tranquilizaria muito, se eu tivesse que colocá-los em uma escolinha.
    Bjux
    Inaiá

  4. Luna não foi pro berçário, começou na escola com 1 anos e 7 meses. Já conhecia bem a escola, tenho amigas que trabalham lá e meu marido é coordenador lá também. Mas sou tão louca que antes mesmo de ficar grávda, logo assim que decidi engravidar, andei visitando umas creches e gostei mais da que recebeu sem precisar marcar hora. E já escolhi até a faculdade vai estudar e até o curso!!!! r#aloka srsrs

    Beijão.

  5. Paola, o meu filho já foi pra escolinha com 1ano e 9 meses… mesmo assim, fiz uma excursão por todas as escolinhas do bairro… mas foi por causa da idade e por indicação médica (ele não falava absolutamente nada e achavam que a culpa era da mãe, a escolinha resolveria). Graças a Deus, a escolinha da prefeitura era muito, muito melhor que todas as dos bairros juntas: proporção criança/adulto, espaço na sala, espaço livre, refeições… enfim… uma escolinha que vale a pena. Então, não tive dúvidas.
    Esse é o segundo ano dele lá. Só que boa assim, só Educação Infantil. Infelizmente, ensino fundamental é bem realidade de escola pública que a gente vê por aí… então, vou ter que fazer toda uma excursão novamente…

  6. Eu não precisei colocar a minha pequena no berçario,então com 2 anos resolvemos coloca-la em uma escola que aceitasse só duas tardes da semana,era o que eu preciva p/ resolver minhas coisas(principalmente médico e banco),tem poucas opções nesse quesito mas consegui,por dois anos ela frequentou um hotel p/ crianças e esse ano consegui uma escolinha que aceita esse sistema,pois eles trabalham com reforço escolar,dai eles pegam crianças p/ dias alternados,eu gosto muito dessa escolinha e a minha agora #aos4 adora as tias,o que acho bom é que eles trabalham com poucas crianças,acho isso bom porque ai fica mais fácil eles darem a atenção que a criança precisa…tbm gosto desse negôcia de ter que marcar hora p/ visitar a escolinha.
    Força que vai dar tudo certo.
    bjs
    #amigacomenta

  7. Paola. ..é assim mesmo!!! Tudo parece óbvio, mas está muito longe de ser….tb. Fiz a mesma maratona que vc..no final escolhemos um berçário q passou no teste de estrutura, mas escolhemos porque a coordenadora pedagógica é conhecida do meu marido há quase 20 anos…isso contou!!!! Boa sobre nesta nova jornada…Bjs Camila Mamãe Viver Bem Bom
    http://viverbembom.com.br
    #amigacomenta

  8. Oieee, eu imagino como deve ser péssimo pensar em deixar o bb no berçario mas, o bom, é que vc fez tudo direitinho e está segura de sua escolha, com certeza isto vai fazer muito diferença no dia de enfrentar o primeiro “desgrude” rsrs..

    Aqui o Pedro só entrou na escola com 3 anos, mesmo assim não foi facil, a Cacá entrou este ano com 2 anos e meio, sofri muitooooo pq ela não se adaptou, fazia um escandalo todos os dias e daí, eu tirei, ano q vem ela volta, veremos a novela!! rsrsrs

    Acho que sua lista está perfeita!!

    Bjo!

    Loreta #amigacomenta;)
    @bagagemdemae