Imagem Pinterest

Imagem Pinterest

Entramos na famosa e terrível fase: – Mamãe, verdinho no prato não! Só arroz, feijão e carninha. É minha gente, Clara que sempre comeu de tudo, seu prato sempre pareceu um arco-íris de tantas cores resolveu entrar na fase “prato monocromático” e anda dando baile pra comer aqui em casa. Na escola só come se muito picadinho e meio escondido. Além do trivial escolhido por ela, milho e tomate ainda é hit. Tudo que é verde, laranja, roxo e afins ela não quer. Bate o pé e não há quem a faça comer. Então minhas queridas, é mais uma fase que “tamojunto” e claro, vamos superar, certo? A fase “meu filho não come” vai ser apenas uma fase pra depois rirmos. A partir de hoje, vou relatar aqui no blog o que farei e como driblarei tal fase tenebrosa e junto com orações, tenho certeza confiança que em breve a Cria voltará a comer os verdinhos e todas as outras cores encontradas na feira. No post de hoje, 10 dicas para sobreviver a fase: Mamãe, “verdinho” no prato não!

1 – Paciência e fé:

Tem mãe mais paciente que ela???

Tem mãe mais paciente que ela???

Pra começar, precisamos entender que pode sim ser uma fase e como todas na maternidade precisamos ficar calmas, ter paciência e fé de que em um belo dia, a Cria vai acordar e pedir pra comer chicória, qualquer outra cor diferente do que ela aceita no momento.

Conforme baixamos nossa adrenalina e ansiedade toda vez que chega a hora da refeição, conseguimos mesmo que de forma inconsciente fazer com que esta hora fique mais “leve” pras crianças. Independente deles comerem ou não toda a variedade de alimentos que existem, não devemos fazer da hora de comer um cavalo de batalha e sim um momento prazeiroso. Não crie expectativas sobre a aceitação da refeição, assim você se frusta menos e tende a não passar este sentimento pro seu filho.

2 – Reconheça se a recusa  é de um grupo de alimentos ou alguns alimentos:

Ele não come nada de verduras, legumes e frutas ou só algumas? Perceba isso no dia a dia e pra descobrir, só colocando no prato e oferecendo. Imagem Pinterest

Ele não come nada de verduras, legumes e frutas ou só algumas? Perceba isso no dia a dia e pra descobrir, só colocando no prato e oferecendo. Imagem Pinterest

É importante você perceber se seu filho não come nada de verde ou se ele come alface, rúcula, couve e não gosta de espinafre, por exemplo. Com a vasta variedade que encontramos na feira, é normal a criança não gostar de um alimento ou outro.

Nós somos assim, não somos? Com eles não é diferente.

Perceba também se os alimentos negados tem mais ou menos o mesmo sabor, por exemplo, rúcula, agrião e rabanete são alimentos mais “ardidinhos”, escarola, almeirão e mostarda mais amargos. Assim fica mais fácil saber qual alimento oferecer e ter sucesso na aceitação.

3 – Desistir jamais:

Quem disse que é fácil? Mas desistir jamais! Ofereça sempre com bom humor, sem gritos, chantagens e prêmios. Imagem Pinterest

Quem disse que é fácil? Mas desistir jamais! Ofereça sempre com bom humor, sem gritos, chantagens e prêmios. Imagem Pinterest

É cansativo e digo mais, é frustante cozinharmos uma comidinha gostosa no meio da correria do dia a dia e nossa Cria não aceitar. Aí vem a consulta do Pediatra e ele não ganhou peso, não cresceu ou então está com alguma deficiência de nutriente.

Mas gente, somos mães e não desistimos jamais. A lei da insistência pode ajudar e muito nesta fase!

4 – Ofereça mesmo que não aceite, mas não force a aceitação:

Coloque no prato os alimentos que são negados, mas separadamente. Coloque pra aos poucos tentar fazê-lo voltar a comer. Sem forçar, sem chantagear. Imagem Pinterest

Coloque no prato os alimentos que são negados, mas separadamente. Coloque pra aos poucos tentar fazê-lo voltar a comer. Sem forçar, sem chantagear. Imagem Pinterest

Este item é unido ao anterior, pois o fato de não desistirmos nos faz sempre oferecer o alimento negado. E pra isso precisamos usar a cabeça e pensar a forma de melhor colocar no prato das crianças.

Será que é escondendo o verdinho ou laranja debaixo do arroz e dependendo da forma em que a Cria mexer com a colher descobrir a “traição”?

Será que é batendo tudo no liquidificador e fazer descer goela abaixo sem que a criança saiba o que está comendo?

Não! Nenhuma destas formas eu acho correta.

Nós precisamos fazer com que as crianças comam com prazer e não obrigação, por mais cansativo e desesperador que seja.

Tentar esconder algo e ser descoberta podemos fazer com o que é aceito seja negado e a criança não coma nada, aí vem a dor no coração com medo deles sentirem fome e eles começam a entender que dominaram a situação.

Bater tudo no liquidificador é menos correto ainda. Primeiro por causa da consistência e segundo porque caímos na mesma questão do comer por prazer.

O certo é você oferecer no prato da refeição, mas de forma que a criança veja o alimento e saiba o que é. Mantenha o alimento vivo na memória da criança, quem sabe vencemos pela insistência.

5 – Não substitua o saudável pelo não saudável:

Esse é um dos maiores erros: trocar o saudável pelo não saudável apenas visando o ganho de peso. Imagem Pinterest

Esse é um dos maiores erros: trocar o saudável pelo não saudável apenas visando o ganho de peso. Imagem Pinterest

Você fez o prato lindo e completo de seu filho. Ele não comeu e você se desesperou porque ele vai ficar com fome ou então você está há meses tentando fazer seu filho comer e ele não aceita nada mais além de arroz e feijão. Aí você quer variar e começa a oferecer nuggets, batata frita, macarrão instantâneo, salsicha e etc.

Pronto! Você se sabotou e agora o retorno a comer de tudo, bem colorido e de forma saudável ficará mais difícil.

Lembre-se: É melhor ele comer só arroz e feijão do que arroz feijão e nuggets. A não ser, claro, que você faça uma versão saudável deste tipo de preparação e já adianto, não é só assar!

Outro erro grande e frequente é começar a trocar o almoço e jantar por lanche.

O de vez em quando é muito fácil de se tornar sempre! Não esqueçam isso.

Se seu filho só come o que é dito não saudável é porque você ou alguém em algum momento começou a oferecer. Sempre falo que as crianças não vão sozinhas ao supermercado, compram sozinhas o produto em si, vão até o caixa, pagam pelo produto, vão pra cozinha e o preparam. São os pais que oferecem e colocam tudo a perder.

Ganhar peso, matar a fome devem ser feitos de forma saudável.

6 – Use a criatividade:

Não precisa ter mil e uma habilidades, mas montar o prato de forma atrativa com os próprios alimentos, usar e abusar de cortadores e receitinhas bacanas! Imagem Pinterest

Não precisa ter mil e uma habilidades, mas montar o prato de forma atrativa com os próprios alimentos, usar e abusar de cortadores e receitinhas bacanas! Imagem Pinterest

Selecione os alimentos que seu filho não quer aceitar e inove nas formas de preparo. Suflê, purê, nuggets de legumes, roustie, em recheios, sautê, refogados ou simplesmente cortados de formas diferente pode ajudar na aceitação.

É uma fase que requer um pouco mais de atenção e pode dar um pouco de trabalho.

Aqui no blog tem algumas receitas bacanas pra você inovar seu cardápio:

7 – Falta de apetite, come pouca quantidade ou não seleciona os alimentos:

Imagem Pinterest

Imagem Pinterest

Uma coisa é a criança não querer comer por falta de apetite, comer a quantidade que ela quer e outra é não comer alguns alimentos.

O quesito meu filho come pouco é um grande erro dos pais, pois nós adultos não sabemos quanto cabe no estômago de nossas crianças. Fecha a mãozinha dela, pronto, está aí o tamanho do estômago dela. Respeite a saciedade da criança, se ela está ganhando peso, se desenvolvendo é sinal que está tudo certo em relação a quantidade de comida ingerida.

A criança pode perder o apetite porque está doentinha (relembre este post), em fases de desenvolvimento, erupção dentária ou porque simplesmente não está com fome naquela hora. Pra este último, é importante sempre deixar a criança ter fome e não oferecer comidinhas sabotadoras de apetite a toda hora.

8 – Respeite a criança:

Se ela não quer comer tal alimento, respeite. Mas descubra quais alimentos saudáveis ela que comer e ofereça nos horários certos. A rotina deve permanecer. Imagem Pinterest

Se ela não quer comer tal alimento, respeite. Mas descubra quais alimentos saudáveis ela que comer e ofereça nos horários certos. A rotina deve permanecer. Imagem Pinterest

Não adianta chantagear, obrigar, gritar, falar que vai ficar triste porque quando eles cismam que não vão comer, eles não comem.

O respeito com eles deve sempre existir e carinho, paciência é a base de tudo. Principalmente nesta hora.

Não temos, ou melhor, não queremos traumatizar nossos filhos.

O Marido aqui tem trauma de polenta com frango ensopado, não come de jeito nenhum porque quando ele era pequeno, minha sogra o fez ficar 9 horas seguidas na frente do prato, pois falou que ele não sairia da mesa enquanto não comesse o que estava no prato. Ele não comeu e lá ficou!

 9 – Fale o que a criança vai comer de forma positiva:

Sempre fale o que está no prato de seu filho. Fale que é uma delícia, que comer faz bem. Incentive e faça o momento da refeição ser agradável. Imagem Revista Crescer

Sempre fale o que está no prato de seu filho. Fale que é uma delícia, que comer faz bem. Incentive e faça o momento da refeição ser agradável. Imagem Revista Crescer

Não adianta servir o prato e deixar a ansiedade tomar conta do momento da refeição. Fale de forma alegre, positiva o que está sendo servido:

– Olha, filho o que vamos comer hoje: Arroz, feijão, carne, cenourinha e couve.

– Vamos comer pra ficarmos fortes e cheio de saúde, igual a Peppa (o personagem favorito por aí)

Ou então:

– Olha só, a comida da Pequena é igual a da mamãe e papai. Que delícia que está. Quer um pouco do meu prato?

Enquanto eles não chegam na adolescência, somos o espelho deles e pode funcionar :). Clara muitas vezes negou o prato dela, mas comeu do meu ou do Marido.

Outra coisa que ajudou bastante aqui foram os utensílios novos das Princesas, aumentou o apetite, mas nem tanto a aceitação pelo verdinho.

10 – Abuse do que é aceito:

Ela não quer comer espinafre, mas come arroz e feijão? Então é hora de deixá-los mais nutritivos e abusar desta aceitação. Imagem Pinterest

Ela não quer comer espinafre, mas come arroz e feijão? Então é hora de deixá-los mais nutritivos e abusar desta aceitação. Imagem Pinterest

Nesta fase, precisamos abusar dos alimentos que eles comem felizes, mas também devemos tomar cuidado pra eles não enjoarem, então a variedade de preparo é importante.

Além de oferecer os alimentos saudáveis preferidos, podemos fortifica-los de forma que não mude sabor, textura e consistência, assim enquanto sofremos pela não aceitação conseguimos aliviar a angustia sabendo que eles estão ingerindo os nutrientes.

Ao longo dos dias vou postar receitas fortificadas que tenho feito em casa pra me ajudar nesta fase.

Espero ter ajudado!

Beijos,

 

 

Share Button

Comentários

  1. Amiga minha filha tahbna fase q não gosta mais de feijão, de verduras e legumes… q situação!!! Tenho q me virar em 1000 pra fzer um macarrão e no molho tacar tudo q é nutritivo e no arroz a mesma coisa. Fase dificil demais essa…

  2. Thais Pires Cardoso, Taciane Pires e Maria Fatima Pires Cardoso.. fase viu.. teremos que ter paciencia