Maternidade Colorida

1 ano e a Criança não come, o que fazer?

Imagem

 

Esses dias uma amiga minha me mandou uma mensagem desesperada querendo uma ajuda rápida. Sua filha de quase 2 anos pela primeira vez precisou entrar com antibiótico e não está comendo como de costume há alguns dias.

Sua dúvida foi a dúvida que provável passa pela sua cabeça quando sua Cria tem alguns episódios que não querer comer ou de não comer bem.

Antes de eu dar o meu pitaco e orientação como Nutricionista, vale a pena ressaltar alguns pontos:

 - Crianças de 1 ano ou mais comem menos do que bebês com menos de 1 ano, pois eles crescem menos do 1 aos 2 anos. Sim, eu sei que eles gastam muita energia, pois começam a andar e a fazer outras coisas, mas aí entra a importância de refeições mais completas e lanches que tenham mais do que fruta em seu cardápio.

- Devemos tomar cuidado pra não “acharmos” que eles estão comendo pouco e devemos sempre lembrar que nós escolhemos o que eles vão comer e eles a quantia.

- Crianças precisam sentir fome pra querer comer sem ser um transtorno, ou seja, não adianta oferecer a cada hora alguma coisinha, pois isso vai tirar o apetite das crianças e eles não vão ter fome nas refeições principais.

- Mamadeira não é refeição e não deve substituir as grandes refeições caso as crianças não aceitem o prato de comida.

- Não deve chantagear ou oferecer recompensa pra criança comer ou aceitar a comida.

- Os pais são o exemplo pros filhos. De nada adianta querer que eles comam berinejla se eles nunca os vêem comendo a berinjela.

- Crie o hábito de pelo menos 1 refeição fazer toda a família junto, e converse durante a refeição, mostre que é uma hora bacana.

- Conforme está dando comida pra criança, fale o que ela está comendo, não faça festa, mas também não imponha que ela tem  que comer. Tente ser neutra de uma forma simpática.

- Ofereça alimentos novos junto com os alimentos preferidos.

- Antes de desistir de oferecer algum alimento que a criança recusou, tente oferecê-lo de formas diferentes.

- Se a criança for maior, leve-a pra cozinha com você e preparem juntos algum prato (com toda segurança necessária, é claro!).

- Primeiro comemos com os olhos, então invista na apresentação do prato, coloque-os separados pra criança saber o que está comendo e se preciso enfeite o prato com os próprios alimentos.

“Os bebês comem, em relação ao seu tamanho, muito mais que os adultos. Isso significa que, no processo de tornar-se adultos, cedo ou tarde terão que começar a comer menos. Mais cedo, que tarde, para surpresa e terror de muitas mães. Os bebês costumam “deixar de comer”, aproximadamente ao fazer um ano. Alguns já deixam de comer desde os nove meses, outros “aguentam” até um ano e meio ou dois anos. Uns poucos nunca deixam de comer, enquanto outros “nunca comeram bem, desde que nasceram”.
O motivo dessa mudança por volta do primeiro ano é a diminuição da velocidade do crescimento. No primeiro ano, os bebês engordam e crescem mais rapidamente que em qualquer outra época da sua vida extra-uterina. Durante o segundo ano, diferentemente, o crescimento é muito mais lento: uns nove centímetros e um par de quilos. Assim temos que, dos três principais capítulos do gasto energético, a energia necessária para movimentar-se aumenta, porque o bebê se move mais e a necessária para manter-se com vida também aumenta, porque o bebê é maior.
Mas a energia necessária para crescer diminui de forma espetacular e o resultado é que muitos bebês necessitam comer o mesmo ou menos. Segundo cálculos de especialistas, os bebês de um ano e meio comem pouco mais que os de nove meses. Os pais, não informados deste fato, fazem um cálculo aparentemente lógico: “Se com um ano come tanto, com dois comerá o dobro”. Resultado: uma mãe tentando dar o dobro de comida a um bebê que precisa da metade ou menos. O conflito é inevitável e violento. “Até quando ficam sem comer?” A situação costuma ser transitória. Aconselhadas por avós, vizinhas e pediatras, as mães costumam pensar que seus filhos “mudarão”.
Extraído do livro Mi Niño No Me Come, do Dr. Carlos González – Tradução Bel Kock Allaman /Fonte: Pediatria Radical

Agora respondendo o que fazer quando a criança não quer almoçar, guarde seu coração de mãe em uma bolsa e deixe sua Cria ficar com fome até o horário da próxima refeição. Chegou o horário da próxima refeição, ofereça o mesmo prato de comida que ela negou, ela não aceitou ainda? Espere a próxima refeição e assim vamos até ela comer o prato de comida.

Vai doer a alma? Pesar a consciência? Sim, vai e eu também sou mãe, mas é assim que as crianças vão se habituar a comer comida no horário de comida, lanchinhos nos horários dos lanchinhos e assim por diante.
Chega uma idade, que eles super espertos aprendem a nos “dobrar” e a só comer o que realmente gostam e é nesta hora que precisamos ser firmes.

Caso a falta de apetite seja por doença, tente dar uma sopa com alimentos variados. Mudamos a consistência da refeição, mas garantimos a ingestão de nutrientes.

Clara quando está doentinha, só come bem uma sopa e quando fica boa, volta a comer comida normal numa boa.

Ah! Pediram pra eu filmar a Clara comendo e ontem eu gravei seu café da manhã pelo celular, olha só:

Beijos

%d blogueiros gostam disto: